sábado, 16 de setembro de 2017

AINDA SOBRE LULA...


Dizia eu no post anterior que Lula responde a 6 processos, já foi sentenciado (a 9 anos e 6 meses de prisão em regime fechado) em um deles, está em via de ser condenado pela segunda vez (na ação em que depôs dias atrás, cuja sentença é esperada antes do final do ano), além de ser alvo de mais três denúncias e investigado em outros tantos inquéritos.

Segundo a edição de IstoÉ desta semana, sua insolência vem colecionando peças acusatórias em ritmo quase semanal ― só neste mês já foram três. Sua ficha corrida rivaliza com a de criminosos de alta estirpe, e, na falta de elementos consistentes para se defender das acusações, só lhe resta se fazer de vítima e posar de perseguido político. Mas se essa retórica algum dia pareceu se sustentar, agora ruiu de vez: Antônio Palocci ― velho amigo, articulador de sua campanha, ministro da Fazenda em seu governo e da Casa Civil na gestão de sua deplorável sucessora ― relatou com requintes de detalhes que o molusco teria recebido benesses imobiliárias, propinas travestidas de palestras e outros mimos, além de uma “reserva técnica” de R$ 300 milhões. E isso de apenas uma das empresas que lhe fizeram gentilezas.

De companheiro de longa data e parceiro de crimes, Palocci passou à condição de “homem frio, calculista e dissimulado, capaz de simular uma mentira mais verdadeira que a verdade”. Aliás, a reação de Lula contra os mais de 30 delatores que o acusam ― entre empreiteiros, correligionários, operadores e amigos do calibre de Bumlai, Delcídio e distinta companhia ― é sempre a mesma: todos mentem, só ele, Lula, fala a verdade.

Confrontado com evidências de pagamentos de propina a seu instituto, o santarrão do pau oco teve o desplante de afirmar que era apenas o “presidente de honra” e, portanto, não participava da direção executiva da organização. Suas andanças pelos currais do Nordeste reuniram apenas áulicos seguidores e protagonizaram situações anedóticas: ao tratar da devastadora paulada de Palocci, a senadora Gleisi Hoffmann ― ré no STF e presidente da agremiação criminosa petista ― alegou pateticamente que o ex-ministro estava a serviço da CIA.

Os petistas perderam o senso de ridículo. Apegam-se a qualquer lorota em busca da única tábua de salvação que enxergam: a candidatura de Lula como saída para livrá-lo da prisão. Todavia, mesmo nesta Banânia a situação de uma chapa a presidente encabeçada por alguém com a capivara do demiurgo de Garanhuns ― ou “comandante supremo da quadrilha”, segundo procuradores do MPF ― seria surreal. E ainda que isso fosse adiante e lograsse êxito nas urnas, a folha corrida do petralha o impediria de tomar posse, até porque a Constituição veta expressamente a possibilidade de alguém com pendências judiciais assumir a presidência da República.

Pela letra fria da Lei, Lula está cada dia mais distante de Brasília, a não ser que estejamos falando da Papuda. Se você ainda tem dúvidas, siga este link ou leia o resumo a seguir:
― No processo sobre o notório tríplex no Guarujá, Lula foi condenado pelo juiz Moro a 9 anos e 6 meses de prisão; foram interpostos recursos de apelação, que aguardam julgamento pela 8ª Turma do TRF-4).

― No processo sobre o Sítio Santa Bárbara, em Atibaia, o petista é acusado de ter recebido propina da OAS e da Odebrecht, representada pela reforma da propriedade (que, contrariando todas as evidências, o molusco insiste em afirmar que não é dele (leia a decisão que tornou Lula réu e a defesa do ex-presidente).

― Na ação que trata do terreno comprado pela Odebrecht para abrigar o “Memorial da Democracia” do Instituto Lula, a sentença deve ser prolatada em breve (leia a íntegra da denúncia e a defesa de Lula).

― No processo em que é acusado de obstrução de Justiça, o molusco eneadáctilo responde por supostamente conspirar com o ex-senador Delcídio do Amaral para comprar o silêncio do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró (leia a decisão que tornou Lula réu, a defesa do ex-presidente e a íntegra da delação de Delcídio).

― Quanto a nomeação de Lula para a Casa Civil, no apagar das luzes do governo Dilma, com o claro propósito de lhe restabelecer o foro privilegiado, o MP apresentou a denúncia no último dia 6, também por obstrução da Justiça (leia a íntegra da denúncia e a defesa de Lula.

― Também neste mês, Lula, Dilma e mais 6 petralhas foram denunciados por organização criminosa para arrecadar propina em órgãos da administração pública (leia a íntegra da denúncia e a defesa de Lula).

Lula é investigado por ter usado o Instituto Lula e sua empresa de palestras LILS para receber propina de empreiteiras (leia a nota oficial do PT sobre o caso).

Lula foi denunciado na Operação Janus, em outubro do ano passado, por ter favorecido a Odebrecht na obtenção de empréstimos junto ao BNDES para tocar obras no exterior (leia a denúncia e a nota da defesa de Lula).

Lula foi denunciado em dezembro passado por tráfico de influência na edição de uma medida provisória e negociação de aviões de combate (leia a íntegra da denúncia e a nota da defesa de Lula).

― Dias atrás, o MPF acusou o ex-presidente de tráfico de influência na edição de uma medida provisória que teria beneficiado o setor automotivo em troca de propina ― paga por meio de intermediários a Lula e a seu ex-chefe de gabinete, Gilberto Carvalho (leia a íntegra da denúncia e a nota da defesa de Lula).

Boa leitura.

Visite minhas comunidades na Rede .Link:



Postar um comentário