quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

COMO DESAFOGAR O SISTEMA OPERACIONAL (PARTE 3)

NÃO HÁ QUE SER FORTE, HÁ QUE SER FLEXÍVEL.

Deixar de criar ao menos uma segunda partição em HDDs que chegam a oferecer até 6 TB de espaço é um despropósito. No entanto, conforme eu adiantei na postagem anterior, as encarnações mais recentes do Windows permitem particionar a unidade de armazenamento persistente de dados (HDD ou SSD) com o sistema já instalado e o uso de ferramentas nativas, embora seja mais fácil realizar esse trabalho com aplicativos de terceiros. 

Supondo que o fabricante do seu PC (ou quem quer que tenha instalado o Windows) não se preocupou em particionar o drive, e você quiser fazê-lo a posteriori, será preciso, primeiro, submeter o paciente a um “pré-operatório” que começa com a desinstalação de aplicativos inúteis ou raramente utilizados.

Desde os tempos de antanho que o Windows conta com uma ferramenta nativa para remover aplicativos ― para acessá-la no Windows 10, abra o menu Iniciar e clique em Configurações > Aplicativos > Aplicativos e recursos. Mas você obterá melhores resultados usando o Revo Uninstaller ou o IObit Uninstaller, que eliminam a maior parte das sobras que o desinstalador da Microsoft costuma deixar para trás, já até porque ele se limita a executar o desinstalador do próprio aplicativo.

Removidos os apps desnecessários, abra a pasta Computador, dê um clique direito no ícone correspondente à sua unidade de sistema ― geralmente C: (*), selecione Propriedades e analise o gráfico em forma de pizza para ver a proporção entre o espaço ocupado e o espaço livre no disco. Pressione o botão Limpeza de Disco, aguarde o cálculo do espaço que pode ser recuperado e confirme em OK. Ao final, pressione novamente o botão, clique em Limpar arquivos do sistema, marque as opções desejadas (ou todas elas).

(*Partição de sistema e partição de inicialização são nomes atribuídos às unidades (ou volumes) que o Windows usa ao ser iniciado. Esses termos podem ser confusos, pois a partição do sistema contém os arquivos usados para inicializar o Windows, enquanto que a partição de inicialização contém os arquivos do sistema. No entanto, como o uso consagra a regra, partição do sistema, para os efeitos desta sequência de postagens, é aquela que contém o Windows (geralmente a unidade C:).

Se seu computador estiver estável, clique na aba Mais Opções e comande a exclusão dos pontos de restauração do sistema, que ocupam um bocado de espaço (por segurança, o ponto mais recente é preservado por padrão). Note que também nesse caso é melhor utilizar ferramentas de terceiros, como o festejado CCleaner, que, dentre outras vantagens, permite selecionar individualmente os pontos de restauração que você quer apagar.

Amanhã eu conto o resto. Até lá.

Visite minhas comunidades na Rede .Link:
Postar um comentário