terça-feira, 5 de abril de 2011

De volta aos encurtadores de URL

Se o limite de 140 caracteres imposto pelo Twitter não permite grandes lucubrações, a coisa fica ainda mais "apertada" quando você inclui no micropost um link "por extenso" - a título de exemplo, o endereço http://technet.microsoft.com/pt-br/magazine/gg558108.aspx (que remete à TechNet Magazine) consome mais de 40% do espaço disponível. No entanto, se você usar a um redutor de URL como o BITLY, por exemplo, o link resultante terá apenas 20 caracteres (http://bit.ly/i2pTF0), o que significa uma subtancial economia de espaço (cerca de 65%).

Observação: Para encurtar um URL, basta você recorrer a serviços online como o TINYURL, o  BI.TLY, o IS.GD, o MIGRE.ME  ou o GOO.GL, apenas para citar os mais conhecidos.

Os “encurtadores de URL” vêm sendo largamente usados em Blogs e Webpages - e até na mídia impressa, como é o caso da revista INFO -, mas vale lembrar que um link encurtado não oferece indícios que permitam identificar seu “endereço real”, nem mesmo quando você pousa o ponteiro do mouse sobre ele, aspecto que facilita sobremaneira a ação dos vigaristas de plantão. Então, o jeito é reocrrer a sites como o ExpandMyURL, Knowurl ou LongUrl (apenas para citar os mais populares), que "fazem a respectiva tradução" e, em alguns casos, informa também se a página é segura.
Dependendo do serviço usado no encurtamento do URL, é possível obter mais informações introduzindo o micro link na barra de endereços do navegador, acrescentando um sinal de adição (+) e teclando Enter - experimente fazer isso com o link reduzido aqui do Blog (http://goo.gl/uPFiP); comigo, isso funcionou tanto no IE8 quanto no Chrome 12.0.712.0.
Bom dia a todos e até mais ler.
Postar um comentário