domingo, 3 de dezembro de 2006

Informatiquês

Considerando que os motivos natalinos vêm agradando meus visitantes mais cativos, vou prosseguir com as figurinhas, uma por dia, até o final do mês. E como hoje é domingo, vamos falar de um assunto mais "light": o "informatiquês".
Atire o primeiro mouse quem nunca confundiu bits com bytes, drives com drivers, ou nunca se referiu (impropriamente) ao gabinete do computador como "CPU". Toda disciplina tem seu jargão característico, e a informática não é exceção. Aliás, usar um computador sem conhecer o significado de uma profusão de termos e siglas (geralmente em inglês), implica em cometer deslizes perdoáveis ou erros crassos, conforme o caso.
Em vista disso, estamos trabalhando na elaboração de um dicionário de Informatiquês. O livro ainda está em fase de elaboração, mas será publicado dentro da Coleção Guia Fácil Informática e deverá chegar às bancas lá pelo mês que vem. Fica aqui a informação para todos que me honram com suas visitas e, em especial, para os que acompanham nosso trabalho na mídia impressa.
Aproveitando o ensejo, vale lembrar a todos que CPU é a sigla de Unidade Central de Processamento, em inglês, e remete ao processador principal do computador - e não ao gabinete (aquela caixa plástica ou metálica que abriga a placa-mãe e demais componentes internos do PC, que também é conhecida como Case, Gabinete do Sistema ou Gabinete de CPU).
Bit é a contração de "Binary Digit" (dígito binário), e designa a menor unidade de informação manipulada pelo computador.
Byte, por sua vez, é uma unidade básica de memória que corresponde a oito bits e representa a quantidade de informação necessária para especificar uma letra, número, símbolo ou outro caractere qualquer.
Um drive é uma unidade de disco - disquete (Floppy Drive), disco rígido (HDD ou Hard Disk Drive), CD-ROM, um pen-drive ou qualquer outro dispositivo de armazenamento de dados.
Já um driver é um programinha de baixo nível que serve como ponte (elemento de ligação) entre o sistema operacional e o hardware.
Por ocasião da instalação (ou reinstalação) do Windows, você deve instalar os drivers de chipset e drivers de dispositivos adequados aos componentes que integram o seu computador. O Windows conta com um expressivo banco de drivers nativos e é capaz de fazer funcionar a maioria dos itens de hardware disponíveis no mercado, mas é sempre preferível usar as versões disponibilizados pelos respectivos fabricantes (que costumam vir nos CDs ou disquetes que acompanham o computador, a placa-mãe e outros dispositivos e periféricos).
Aliás, é importante visitar regularmente os websites dos fabricantes para fazer o download das versões mais recentes desses programinhas (mas isso já é outro assunto, e fica para uma outra vez). Amanhã voltamos às teclas de atalho e personalizações do Desktop. Espero que o "Bom Velhinho" do post de hoje seja realmente bonzinho para com todos nós.
Bom domingo a todos.
Postar um comentário