quinta-feira, 24 de setembro de 2015

VÍRUS DE COMPUTADOR E OUTRAS PRAGAS DIGITAIS – NÃO CUSTA NADA RELEMBRAR O QUE SÃO E A MANEIRA DE PROTEGER O SISTEMA DE SUAS AÇÕES DANOSAS (final)

O PIOR INIMIGO É O INVEJOSO. ELE NÃO QUER O QUE VOCÊ TEM, MAS SIM QUE VOCÊ NÃO TENHA.

O SPAM não é exatamente um vírus, mas pode ser tão aborrecido quanto e igualmente perigoso (caso do SCAM, como veremos mais adiante). O termo advém da aglutinação de spiced ham (presunto condimentado) e remete originalmente a um enlatado fabricado pela HERMEL FOODS, que ficou famoso por ser pedido insistentemente, de modo jocoso, na comédia inglesa MONTY PYTON.

Também conhecido como “JUNK MAIL” (junk = lixo, entulho), esse incômodo digital foi inspirado na velha “mala direta” – alternativa mais barata do que os comerciais veiculados na mídia convencional para a divulgação de produtos e serviços –, que era distribuída através dos Correios ou manualmente, por biscateiros que os espalhavam de porta em porta. A prática se popularizou rapidamente, e logo a quantidade de “emails não solicitados enviados em massa” passou a congestionar a Internet e a esgotar o espaço (miserável, até não muito tempo atrás) que os provedores de email disponibilizavam ao usuários, impedindo, não raro, o ingresso de mensagens úteis, importantes e de real interesse. A propósito, Bill Gates tenha vaticinado em 2004 que esse entulho digital seria varrido do mapa dali a dois anos, mas já se passaram onze e os spammers continuam faturando.


Enfim, como se não bastasse a trabalheira que dá fazer a triagem das mensagens (evitando, assim, apagar alguma coisa importante junto com a lixaria), o SPAM passou a ser utilizado pelos estelionatários cibernéticos para espalhar hoaxes (boatos), engôdos e códigos maliciosos, seja através de arquivos anexados às mensagens, seja na forma de links que remetem a webpages suspeitas. Nesse contexto, como dito linhas atrás, as mensagens, conhecidas como SCAM, costumam valem de títulos e textos apelativos para se fazer passar por “notificações importantes”, supostamente enviadas por instituições financeiras, empresas de segurança digital ou órgãos públicos como a Receita Federal, o TRE, o SCPC, e outros que tais, embora também seja comum os SCAMMERS (assim são chamados os vigaristas digitais que praticam essa modalidade de golpe) buscarem despertar o interesse das vítimas prometendo acesso a fotos reveladoras de artistas famosos, promoções imperdíveis, mensagens de aniversário (e inerentes a outras datas comemorativas, como Natal, Dia das Mães, etc.), e assim por diante. Barbichas de molho, pessoal.

Para não estender demais esta postagem, vamos deixar para focar o SPYWARE na de amanhã. Abraços e até lá.
Postar um comentário