quarta-feira, 27 de abril de 2011

iPad

Smartphones, laptops, e-readers/tablets e afins já foram considerados meros sonhos de consumo pela a combalida classe média tupiniquim, mas a estabilidade econômica, o câmbio favorável e o crédito fácil mudaram significativamente esse quadro. E como gadgets cada vez mais avançados são lançados em intervalos de tempo cada vez mais curtos, quem quer (e pode) se manter up-to-date com o que há de mais moderno em tecnologia tem mais é que comemorar.
Por outro lado, será que faz sentido em gastar R$ 1.400 num iPad (preço do modelo mais barato; saiba mais em http://www.apple.com/br/), quando um note de configuração razoável custa menos e oferece bem mais recursos? Claro que não me cabe julgar quem gasta “os tubos” em produtos de última geração, seja por gostar de novidades, seja por apreciar o “status” que “o melhor e mais novo aparelho tecnológico” concede ao usuário (além disso, se dinheiro não é problema, nada melhor do que ter o melhor). No entanto, basta analisar a coisa do ponto de vista prático para ver que as vantagens do “queridinho da Turma da Maçã” não vão muito além de seu tamanho e peso inferiores aos de qualquer note ou netbook disponível no mercado. Já os recursos...
O iPad não oferece drive óptico (dispositivo de indiscutível utilidade) nem portas USB. Sua capacidade de armazenamento é modesta (especialmente para quem costuma baixar e armazenar toneladas de músicas, clipes de vídeo e arquivos multimídia em geral), e seu teclado virtual se torna incômodo na hora de digitar textos mais longos. Se você pretende sintonizar uma rádio online ou assistir ao noticiário pela Web ao mesmo tempo em que gerencia e-mails e posta seu Blog, pode esquecer. Além disso, a despeito da autonomia respeitável, a bateria do iPad (como as dos demais aparelhos móveis da Apple) é selada e não pode ser substituída, de modo que é preciso “ficar esperto” ao utilizar o brinquedinho em trânsito ou em locais onde não haja uma tomada por perto.
Se você continua indeciso sobre qual gadget escolher, considere o SLIDE PC7 da SAMSUNG (http://www.samsung.com.br/), que oferece o melhor dos dois mundos por US$ 700 (preço nos EUA).
Esse “tabbook” vem com chipset Intel Oaktrail (que lhe garante 9 horas de autonomia para a bateria), roda o Windows 7 Home Premium e é capaz de retornar da hibernação em (pasmem!) apenas 3 segundos, graças a seu drive SSD de 32 ou 64 GB. Além disso, ele oferece 2 GB de RAM, leitor de cartões de memória, tela multitoque de 10 polegadas, conexão 3G e WiMax e um teclado deslizante semelhante ao de alguns smartphones – que é uma mão na roda na hora de digitar textos extensos.

Em tempoVeja (bem) mais detalhes sobre o iPad na excelente sequência de postagens publicada pelo nosso parceiro Guilherme em seu Blog "Afirmativo" (para acessara o primeiro post, clique aqui). 

Um ótimo dia a todos e até mais ler.
Postar um comentário