terça-feira, 8 de julho de 2008

De volta aos travamentos

Travamentos e mensagens de erro podem estar relacionados tanto ao hardware quanto ao software - ou mesmo à combinação desses dois segmentos -, de modo que nem sempre é fácil identificar suas causas e implementar as soluções adequadas (em certos casos, até técnicos experientes e bem aparelhados podem levar dias para identificar o vilão da história).
Mas de nada adianta arrancar os cabelos, xingar a mãe de Bill Gates ou chutar o gabinete; é preciso manter a calma e tentar agir racionalmente, lembrando sempre que uma falha eventual não costuma ser motivo de preocupação, ao passo que um problema recorrente indica alguma coisa errada.
Antes de tomar medidas radicais, veja se seu sistema apenas não "parou para pensar": pressione repetidamente a tecla <Num Lock> e observe se o led correspondente acende e apaga. Caso afirmativo, dê um tempinho; do contrário, respire fundo e procure analisar o contexto em que o congelamento ocorreu.
Se o Windows "der pau" logo depois que você adiciona um novo componente de hardware, verifique os drivers do dispositivo; se o problema ocorrer após uma instalação, reconfiguração ou atualização de software, experimente restaurar o sistema a um ponto anterior e ver como a máquina se comporta.
Quando o PC congela e o led do HD fica permanentemente aceso (sem piscar), vale tentar desfragmentar o disco rígido. Já quando você liga a máquina e o mouse ou o teclado não respondem, desligue tudo, remova e torne a plugar os cabos e reinicie o computador (se não resolver, o defeito deve estar nos periféricos ou nas respectivas interfaces da placa mãe).
Mensagens de memória insuficiente recomendam um upgrade de RAM. Até lá, feche todos os programas que não sejam essenciais e limite-se a manter abertas apenas as janelas indispensáveis à execução dos trabalhos.
Vale lembrar que a execução simultânea de aplicativos é uma causa comum de travamentos. Nesse caso, deve-se pressionar <Ctrl+Alt+ Del> e tentar fechar os programas (começando por aqueles que têm recursos de auto recuperação, como é o caso do MS Word). Selecione um aplicativo por vez, clique em "Finalizar Tarefa" e dê um tempo para o sistema processar o restante das informações (se a máquina voltar a responder, salve seus trabalhos, encerre o Windows e reinicie o computador).

Observação: Se o mouse e o teclado ficarem inoperantes e você não conseguir abrir o Gerenciador de Tarefas, desligue o PC, aguarde alguns minutos e torne a ligá-lo (não use a tecla "reset", mas sim o botão de "power", lembrando que pode ser preciso mantê-lo pressionado por cerca de cinco segundos para que a máquina seja desligada). Caso o Windows reinicie normalmente, abra os programas via menu Iniciar>Todos Programas e torça para que os aplicativos tenham guardado as informações que você não teve tempo de salvar.

Note que integrações caseiras e produtos do "mercado cinza" têm mais chances de apresentar incompatibilidades e problemas de hardware do que PCs de grife. Além disso, embora as versões recentes do Windows sejam mais estáveis do que as antigas, elas ainda travam (nenhum sistema é 100% livre de travamentos, não importa o que diga o fabricante; o XP, cujo principal apelo publicitário era exatamente a estabilidade, travou quando foi apresentado à mídia especializada, fazendo Bill Gates pagar o maior mico).
Para mais informações sobre panes e mensagens de erro (e respectivas soluções), pesquise o Blog e/ou leia o volume 3 da Edição Especial da Coleção Guia Fácil Informática (Deu Pau?).
Um bom dia a todos e até amanhã - dia em que se comemora mais um aniversário da Revolução Constitucionalista de 1932, sendo feriado, portanto, em todo o Estado de São Paulo (em atenção aos leitores de outras partes do País, o "expediente" aqui no Blog será normal).
Postar um comentário