quinta-feira, 8 de fevereiro de 2007

Deu Pau?

Da prosaica lavadora doméstica ao automóvel último tipo, todas as máquinas são susceptíveis a panes, e o computador não é exceção. Junte a essa tendência natural as "facilidades" da arquitetura aberta dos PCs, a complexidade dos sistemas e aplicativos, adicione uma boa dose de despreparo dos integradores, uma pitada de descaso e mais duas de desleixo por parte dos usuários, e você terá a receita do caos.
Computador que "dá pau" (trava ou reinicia sozinho) é um pé no saco, com o perdão da má palavra. Quem já passou por isso (e quem não passou?) sabe como é complicado trabalhar com uma máquina na qual não se pode confiar.
Embora a tecnologia torne os produtos mais sofisticados a cada nova versão, sempre ocorre um probleminha aqui, outro acolá, mas nada justifica você ter de rezar um terço antes de cada inicialização do sistema e acender velas em agradecimento, quando o PC funciona normalmente. Inúmeros fatores podem minar a estabilidade do computador (como dizia o velho Murphy, "se alguma coisa pode dar errado, dará; e mais: dará errado da pior maneira, no pior momento e de modo que cause o maior dano possível”), e o Windows geralmente leva a culpa. Mas, ainda que não seja perfeito (se fosse, dispensaria correções e a criação de novas versões), ele nem sempre é o vilão da história.
Dispositivos computacionais são parafernálias complexas e suas configurações - seja no âmbito do hardware, seja no do software - deveriam ficar a cargo de quem realmente sabe o que está fazendo, mas a coisa nem sempre é assim: a enganosa simplicidade do PC como um todo oculta uma infinidade de sutilezas embutidas naquela "meia dúzia de peças fáceis de conectar e pôr para funcionar", e essa complexidade não raro aflora como instabilidades, mensagens de erro e travamentos, que se dão de maneira aleatória e sem qualquer motivo aparente.
Convém salientar que diagnosticar e sanar problemas dá trabalho, demanda tempo e exige uma dose cavalar de paciência. Não é de se estranhar, portanto, que muitos profissionais do ramo partam logo para a reinstalação do SO - solução que, embora radical, costuma resolver conflitos de hardware, arquivos corrompidos, drivers inadequados, incompatiblidades de softwares de terceiros e uma porção de outras questiúnculas. Por outro lado - e tudo sempre tem um outro lado - recomeçar tudo a partir do zero requer a reinstalação de todos os aplicativos e as trabalhosas reconfigurações de praxe, sem falar que geralmente acarreta a perda dos arquivos pessoais do usuário (afinal, backup é como cabeça de bacalhau: todo mundo sabe que existe, mas quase ninguém já viu), de modo que seria recomendável deixar o "tratamento de choque" para situações extremas.
Por conta disso, resolvi dedicar as próximas postagens a uma seleção de dicas capazes de aliviar esse purgatório. Com elas, talvez você possa resolver diversos probleminhas na sua própria máquina ou até dar uma mãozinha àquele seu amigo menos experiente, que não lê o nosso Blog e não comprou o livrinho cuja imagem da capa ilustra esta postagem.
Por hoje é só. Se você gostou do "aperitivo", volte amanhã para degustar as "entradas".
Abraços e até lá.
Postar um comentário