quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

FERRAMENTAS ONLINE PARA EDIÇÃO DE IMAGENS

EU ME NEGO A ACREDITAR QUE UM POLÍTICO, MESMO O MAIS DOCE POLÍTICO, TENHA SENSO MORAL.

Esta não é a primeira vez que abordo este tema ― aliás, eu tenho por hábito revisitar alguns assuntos de tempos em tempos, não só devido à importância deles ou à rotatividade aqui do Blog, mas também à constante evolução da TI, que está sempre trazendo novidades.

Para quem trabalha com edição de imagens, um pacote como o Adobe Photoshop é uma boa pedida (a despeito do preço), mas que se torna um exagero para quem deseja somente retocar imagens ou fazer edições simples ― situação na qual o Paint do Windows já está de bom tamanho.

Observação: O MS Paint que acompanha o Windows desde as mais priscas eras. Criado em 1981 com o nome de Paintbrush e considerado o primeiro editor de imagens com ferramentas profissionais de alta precisão da história da informática, ele funciona como um bloco de desenho digital, onde você pode criar e editar imagens usando ferramentas como lápis, pincel, balde de tinta, borracha, etc., além de salvar os arquivos nos formatos mais comuns (.jpg, .gif, .bmp, .png, entre outros). Para conhecer melhor seus recursos, clique aqui.

A grande vantagem do Paint é ser um componente nativo, ou seja, você não precisa instalá-lo, porque ele já vem com o Windows. No entanto, seus recursos são bastante limitados. Se você quer algo mais, mas acha o Photoshop, o Corel e outras suítes que tais muito sofisticadas, a solução pode ser uma das dezenas de opções gratuitas e pródigas em recursos disponíveis para download na Web, com o Gimp, o Paint.net ou o Photo Pos Pro. Para edições eventuais, todavia, serviços na nuvem como o Pixlr e o FotoFlexer são mais indicados, pois rodam diretamente do navegador, são fáceis de usar e proporcionam excelentes resultados.

Vale lembrar que a WEB oferece uma vasta gama de serviços online a custo zero, e recorrer a eles é uma grande pedida quando precisamos realizar tarefas específicas, mas não queremos instalar programa residentes, seja porque eles consomem recursos do PC, seja porque podem trazer penduricalhos indesejáveis ou maliciosos, ou ainda porque sua posterior remoção costuma deixar resíduos que, com o passar do tempo, acabam prejudicando o desempenho do sistema como um todo. Por conta disso, eu resolvi relembrar algumas opções de editores de imagem online e acrescentar outras que experimentei nos últimos meses. Confira:     

O Canva é um software de design gráfico gratuito, fácil de usar e que dispensa download e instalação (eu já o havia abordado nesta postagem, mas o que abunda não excede...). Criado há menos de 5 anos, ele já conta com 10 milhões de usuários em 197 países. Para mais informações, acesse. https://www.canva.com/pt_br/.

O Pixlr também é uma ótima opção. Você acessa, edita suas fotos e imagens, e um abraço. Pródigo em filtros e outros recursos, muita gente o considera um dos melhores editores de imagem online. Confira em http://www.pixlr.com.

Ainda mais completo que o anterior e com suporte a layers (camadas) o Sumo PaintMais permite criar formas, adicionar efeitos e editar as fotos resultados de dar inveja aos profissionais. O endereço é http://www.sumopaint.com/home/.

Básico, mas bem bacana, o Pixenate permite cortar, redimensionar, girar e inverter imagens com poucos cliques, além de contar com removedor de olhos vermelhos e clareador de dentes. Feita a edição desejada, você pode enviar a foto diretamente para o Flickr ou salvá-la no seu PC. Confira em http://pixenate.com.

Além de oferecer recursos tradicionais dos editores de imagem, o Picture2Life permite fazer colagens, animações e outras coisas divertidas. O endereço é www.picture2life.com.

Por último, mas não menos importante, Photoshop online é uma versão online da festejada suíte da Adobe. Além de ser pródiga em recursos e efeitos, ela oferece 2GB de espaço para você publicar suas fotos (para isso é preciso fazer um rápido cadastro). Para experimentar o app, acesse www.photoshop.com, clique em Ferramentas e selecione a opção Photoshop Express Editor.

TEORIAS DA CONSPIRAÇÃO

Tem um povinho que insiste em associar o juiz Sergio Moro à CIA, ao FBI, à MOSSAD, à Queda da Bastilha, e por aí afora. São os mesmos representantes da seleta confraria dos cabeças-de prego (ou de camarão, devido à localização dos intestinos) que ainda pecham o atual governo de golpista e acham que Temer não foi eleito democraticamente ― esquecendo-se muito convenientemente de que quem votou na imprestável também avalizou a candidatura do seu vice.

Observação: Falando na chapa Dilma-Temer, a ameaça de cassação é antiga, e talvez venha sendo menosprezada por Michel Temer, sobretudo diante dos sucessivos escândalos que, dia sim, outro também, estremecem seu claudicante governo. Mas o ministro Herman Benjamim, corregedor eleitoral do TSE, já ouviu todas as testemunhas e aguarda somente o resultado da auditoria dos técnicos do TCU, sobre as gráficas que trabalharam na campanha, para tomar sua decisão.

Diante das asnices desses acéfalos, arrogo-me o direito de publicar também as “minhas teorias conspiratórias”, começando pela Lava-Jato, que vem sendo bombardeada nos bastidores por um governo que, em público, finge defendê-la ― e que está afundado até o pescoço em suspeitas de corrupção, e por isso treme nas bases diante da iminente homologação da Delação do Fim do Mundo, que, aliás, já começou a produzir efeitos ― José Yunes, amigão do presidente há quase meio século, já pediu o boné).          

A despeito da promessa feita em troca de sua permanência na presidência do Senado e do Congresso Nacional, Renan Caralheiros ― que, não custa lembrar, é réu numa ação por peculato e investigado em mais 11 processos, 8 dos quais egressos da Lava-Jato ― tornou a tentar aprovar o projeto de medidas contra o abuso de autoridade.  O propósito do cangaceiro alagoano e seus jagunços é abafar a Lava-Jato e podar as asas de Moro ― que, em sua visão, é o inimigo a ser abatido e o “culpado” pelo vazamento da delação do ex-executivo do Odebrecht Cláudio Melo Filho. E o sacripanta ainda tem a cara de pau de dizer que não se trata de revanchismo, de uma vendeta pessoal contra o Ministério Público, o Judiciário e quem mais ousa ameaçar seu feudo.

Observação: Na avaliação de O Antagonista, o pedido de anulação da delação de Melo Filho — que atinge a cúpula do PMDB — sugerido por Michel Temer em carta ao procurador-geral Rodrigo Janot é só o primeiro passo no sentido de obstruir a Lava-Jato, já que abriria um precedente capaz de inviabilizar a operação (o site acusa o presidente de se valer de Renan e seus acólitos para tentar amordaçar a Justiça e de ter mentido quando afirmou que não interferiria na Lava-Jato).

Renan voltou à carga nesta quarta-feira, defendendo ao longo de todo o dia a necessidade de se votar as novas regras ― de sua autoria, diga-se de passagem ―, mas capitulou diante da enxurrada de críticas que recebeu das lideranças da casa e acabou encaminhando a proposta para discussão na CCJ (a primeira derrota do bandoleiro se deu há coisa de duas semanas, quando foi voto vencido ao tentar votar no Senado, a toque de caixa, a versão espúria das medidas anticorrupção aprovadas horas antes pelos deputados ― aprovação essa, aliás, que foi anulada nesta quarta-feira pelo ministro Luiz Fux, que determinou liminarmente o retorno do processo à Câmara para nova discussão. Em seu despacho, o ministro argumentou que projetos de lei de iniciativa popular merecem tramitação diferenciada e que houve “evidente sobreposição do anseio popular pelos interesses parlamentares, frustrando a intenção da sociedade de apresentar uma proposta de acordo com os seus anseios” (de vez em quando o STF dá uma dentro).

ObservaçãoRenan se despede nesta quinta-feira da presidência do Senado e do Congresso ― não sem ter se insurgido contra a decisão do ministro Luiz Fux (no que foi seguido pelo presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia). Ao final do recesso de Legislativo, em fevereiro, uma nova eleição definirá quem será o novo presidente de ambas as Casas. Façam suas apostas. Enquanto isso, na República de Curitiba, a força-tarefa da operação Lava-Jato oferece nova denúncia contra Lula por corrupção e lavagem de dinheiro em um caso envolvendo um terreno que seria destinado ao Instituto Lula e um apartamento em São Bernardo do Campo. De acordo com o MPF, as propinas pagas pela Odebrecht no esquema, que seria liderado pelo molusco abjeto, somaram 75 milhões de reais. E o cara ainda quer concorrer à presidência da República em 2018!

Voltando à vaca fria, Temer, Renan e Gilmar Mendes teriam se articulado para atribuir o vazamento da delação de Melo Filho à Lava-Jato e anulá-la no STF. Se isso é uma teoria da conspiração? Sem dúvida, embora bem mais respaldada em fatos reais do que o besteirol dos cabeças de prego. Se eu acredito nela? Sim. Se acho que vai vingar? Não. Até porque povo já não aguenta mais ser feito de trouxa; a sociedade deixou de ser composta majoritariamente de brasileiros bonzinhos, ingênuos, que de boa-fé imputavam os problemas nacionais à esfera divina; o desinteresse pela política acabou e, graças às redes sociais, o repúdio aos maus políticos vem crescendo a passos de gigante. Suas insolências estão brincando com fogo. Tomara que se coloque ordem no galinheiro sem que seja preciso recorrer a extremos, pois a possibilidade de os militares ressuscitarem os anos de chumbo da ditadura é remota, mas nem por isso irreal.

Para concluir, mais uma teoria estarrecedora (*): O príncipe William é o ANTICRISTO! Ele nasceu aos 21 dias do mês de junho, data que corresponde ao equinócio no hemisfério norte, e quando houve um eclipse solar ― fenômeno tidos como importante pelos adeptos do ocultismo. O fato de o parto ser induzido (conforme a princesa Diana admitiu anos depois) aumenta a suspeita de que a data não foi mera coincidência, sem mencionar que o príncipe tem ascendência duplamente sagrada, como convém ao antimessias: pelo lado paterno, ele descende diretamente do rei David; pelo lado materno, do próprio Jesus Cristo. Mas não é só. Em 2008, ele se tornou o membro número 1.000 da Ordem da Jarreteira (para os conspiradores, a mais importante ordem de cavalaria dos Illuminati), e a Duquesa de Cambridge (Kate Middleton, esposa do príncipe), não seria uma simples plebeia, mas sim uma prima distante, cujo pai teria ascendentes em comum com a Lady Di. Suspeita-se ainda que o filho do casal se chama George Alexander Louis porque o nome é uma junção de três importantes Illuminati.

Por outro lado ― e tudo sempre tem um outro lado ―, não existem evidências de que Charles descende do Rei David, e Diana, dos merovíngios. E ainda que assim não fosse, o entendimento de que os merovíngios descendem de Cristo é fruto de uma obra de ficção escrita no século XX. William realmente nasceu no dia 21 de junho (de 1982), e o parto foi induzido. Também procede a informação de que ele entrou para a Ordem da Jardineira ― fundada em 1348 pelo Rei Eduardo III ―, mas não há nada de estra nisso, até porque essa é apenas mais uma das muitas honrarias da Cavalaria Britânica. E a despeito de o príncipe e sua esposa serem mesmo primos (em 15º grau), ligados pela família Fairfax no século XVI, daí a dizer que William é o anticristo exige um prodigioso exercício de imaginação.

(*) Conforme artigo publicado em Mundo Estranho de dezembro/16.

Por hoje é só, pessoal. Amanhã tem mais.

Confira minhas atualizações diárias sobre política em www.cenario-politico-tupiniquim.link.blog.br/
Postar um comentário