sexta-feira, 22 de setembro de 2006

Onde ligar o computador

Na tomada, evidentemente, mas não diretamente a ela. Pelas razões expostas nas postagens anteriores, é imperativo utilizar algum dispositivo de proteção. Ainda assim, a eficácia desses dispositivos (filtros de linha, estabilizadores de tensão e no-breaks) é relativa e depende de uma série de fatores - na prática, o computador só estará 100% seguro quando desligado da tomada e com o cabo do modem desconectado da linha telefônica.

A proteção oferecida pelo filtro de linha é inexpressiva. Ele é um simples varistor que, em tese, protege o computador das sobretensões (um fusível ou led é estrategicamente posicionado de modo a se fundir, interrompendo a passagem da corrente). Entretanto, a fonte de alimentação do PC geralmente opera entre 90 e 240VCA, admitindo sobretensões de até 100%, e subtensões de mais de 20% – quando ligada a tomadas de 110/127VCA, evidentemente. Ainda assim, sempre é mais fácil substituir o fusível do filtro – ou o próprio filtro – do que os varistores internos da fonte.

Já o estabilizador costuma ser mais eficaz, porque pode "compensar" as variações de tensão (para mais ou para menos). Mas se ocorrer um pico de energia muito rápido ou de grande amplitude, talvez não haja tempo hábil para que a queima do fusível impeça a passagem da corrente, e você já pode imaginar o resultado... Claro que se a força força for cortada abruptamente, não haverá tempo para nada. Aí, o jeito é desligar o cabo da tomada e rezar para que tudo volte a ser como antes, quando o fornecimento for restabelecido. No mínimo, você perderá os trabalhos que estavam em andamento no momento do apagão (no todo ou em parte), mas há caos em que o computador não é capaz reiniciar ou mesmo situações em que componentes de hardware ficam permanentemente danificados - especialmente se você não toma o cuidado desligar o power e desconectar o cabo de força da tomada (recomendável).

O no-break conta com a vantagem adicional de alimentar o computador durante um apagão inesperado, de maneira que o usuário pode concluir seus trabalhos, fechar os programas e desligar o PC da maneira adequada. O no-break on-line – também conhecido como UPS ou Uninterruptible Power Suply – é o tipo mais indicado, porque sua estrutura básica é composta por um retificador, um inversor e um banco de baterias. O bloco retificador “corrige” a rede elétrica e carrega as baterias (a tensão, uma vez retificada, alimenta o bloco inversor cuja função é alternar a tensão novamente para a carga). Quando há energia elétrica na tomada, o banco é mantido sob carga lenta e o computador é alimentado via inversor; quando não há energia, o banco de baterias alimenta a carga também via inversor. Como a tensão é retificada e filtrada logo na entrada, e a alimentação é provida através do circuito inversor, o dispositivo consegue eliminar a maioria dos distúrbios – as baterias, na verdade, funcionam como um grande capacitor. O no-break off-line é mais barato, mas menos eficiente, porque só provê proteção responsável quando não há energia elétrica na tomada (situação em que o computador é alimentado diretamente pelas baterias).

Existem diversas opções de filtros, estabilizadores e no-breaks no mercado. O preço varia, mas convém fugir sempre dos modelos muito baratos (com preços muito abaixo da média). Se mesmo os mais caros, de fabricantes renomados, nem sempre oferecem na prática a eficiência alardeada nos prospectos e na documentação que os acompanha, não se deve esperar muita coisa de produtos desconhecidos e de origem duvidosa. Atenção: o fato de você usar um esses dispositivos de proteção não o desobriga de providenciar uma tomada de três pontos devidamente aterrada (até porque, no mais das vezes, o cabo de força do filtro é igual ao do computador, com aquele terceiro pino que tem horror a alicates de corte).
Postar um comentário