terça-feira, 18 de novembro de 2008

Gerenciador de Tarefas

Nas versões antigas do Windows, a (famigerada) combinação de teclas <Ctrl+Alt+Del> era o "último recurso" de que o usuário dispunha para tentar reverter um travamento do sistema sem partir para o botão RESET ou, em situações mais críticas, desligar o PC "na marra". No XP, todavia, esse atalho convoca uma ferramenta que permite visualizar e manipular aplicativos em execução e processos que rodam em segundo plano, bem como monitorar o desempenho do computador, o status da rede e a atividade de outros usuários do computador (caso existam).
Para abrir o Gerenciador de Tarefas, use o atalho retrocitado ou dê um clique direito na Barra de Tarefas e escolha a opção correspondente. Clique então na aba Aplicativos para visualizar os programas em execução e o status de cada um deles (com os botões Finalizar tarefa, Alternar para e Nova tarefa, você poderá interagir com os aplicativos; o primeiro é particularmente útil na hora de encerrar programas que não estejam respondendo).
Já a aba Processos lista os processos e serviços que rodam em segundo plano, bem como apresenta diversas colunas com informações sobre eles (para configurar as colunas - uso da memória e CPU, falhas de páginas, contagem de identificadores e diversos outros parâmetros -, clique em Exibir >Selecionar colunas... e faça os ajustes desejados).

Observação: Numa definição rasteira, "processos" são conjuntos de instruções executadas com um determinado propósito. Alguns programas se subdividem em vários processos, mas alguns processos não correspondem a programas (como é o caso dos assim chamados "serviços", que rodam em segundo plano para dar suporte ao sistema operacional).

Note que os processos são listados pelo nome dos executáveis, de modo que nem sempre é fácil saber o que eles fazem, a que se referem ou se realmente deveriam estar ali. Nomes como explorer.exe, firefox.exe ou msnmsgr.exe, por exemplo, não oferecem problemas, mas o mesmo não se aplica aos enigmáticos svchost.exe, oodag.exe, ctfmon.exe e outros que tais. E ainda que seja possível clicar com o botão direito sobre um processo suspeito e finalizá-lo, você pode minar a estabilidade e/ou a segurança do sistema se encerrar inadvertidamente alguma thread legítima, necessária ao funcionamento do Windows ou de algum aplicativo que a tenha convocado. Então, antes de qualquer medida radical, convém fazer uma pesquisa via Google ou diretamente em sites como www.liutilities.com/products/wintaskspro/processlibrary/, www.liutilities.com/products/wintaskspro/processlibrary/other/a/, http://www.liutilities.com/products/wintaskspro/dlllibrary/ e www.liutilities.com/products/wintaskspro/dlllibrary/alldlls/.
Se preferir, instale programinhas como o ProcessQuickLink (http://www.processlibrary.com/quicklink/) ou o Process Explorer (www.microsoft.com/technet/sysinternals/default.mspx), por exemplo - já abordados aqui no Blog - que são uma mão na roda para verificar se aqueles nomes estranhos que aparecem na lista dos processos remetem a programas legítimos ou maliciosos (vírus, trojans, spywares, etc.).
Além da questão da segurança, o Gerenciador de Tarefas também é útil quando se deseja alterar a prioridade dos processos. O tempo do processador é dividido em pequenos intervalos (time-slice), e que os processos são organizados em fila para receber suas "fatias". Assim, reduzindo a prioridade de tarefas pesadas que estejam sendo executadas em segundo plano - como a varredura completa do sistema pelo antivírus, por exemplo -, você pode continuar executando outras aplicações sem notar grande perda de performance. Na aba Processos, clique em CPU, verifique quem está monopolizando o processador, dê um clique direito sobre o guloso, escolha a opção Definir prioridade e mude-a de “Normal” para “Abaixo da normal” (isso fará com que o processo em questão passe para o último lugar da fila, e só seja executado quando a CPU estiver ociosa).

Bom dia a todos e até mais ler.
Postar um comentário