terça-feira, 12 de maio de 2009

Desfragmentar é preciso

Nossos leitores habituais sabem que a fragmentação é uma conseqüência natural da maneira como o Windows organiza os dados no HD, e que é preciso desfragmentar os discos regularmente para evitar a degradação do desempenho do computador.
Para quem não leu nossas postagens anteriores sobre este assunto, cumpre dizer que, ao usar o PC, estamos constantemente criando, editando e excluindo arquivos, instalando e removendo aplicativos e adotando outros procedimentos que abrem “lacunas” nas trilhas dos discos. E como essas lacunas nem sempre são suficientes para abrigar integralmente um novo arquivo a ser gravado, ele acaba sendo dividido em “pedaços” e distribuído pelos clusters disponíveis ao longo das trilhas. Assim, quanto maior o índice de fragmentação dos dados, pior o desempenho do sistema (em outras palavras, quanto mais espalhados estiverem fragmentos um determinado arquivo, maior será o trabalho das cabeças de leitura para localizá-los, reagrupá-los e remontar tudo na memória).
O lado bom da história é que, para arrumar sua própria bagunça, o Windows dispõe do “Defrag” – programinha nativo que recompõe os arquivos e os grava em clusters adjacentes; o lado ruim é que esse utilitário não tem acesso a determinados arquivos do sistema (que ficam bloqueados quando o Windows está carregado) e nem tampouco atua sobre o Registro.
Seja lá como for, convém desfragmentar o HD pelo menos uma vez por mês. Para isso, você tanto pode clicar em Iniciar > Todos os Programas > Acessórios > Ferramentas do Sistema > Desfragmentador de Disco, quanto abrir Meu Computador, dar um clique direito no ícone do HD, clicar em “Propriedades” e na guia “Ferramentas”.
Note que o Defrag proporciona melhores resultados se for executado no modo seguro (modalidade de inicialização que torna o boot mais “limpo” e facilita a reorganização dos dados) ou via prompt de comando (confira o roteiro abaixo):

1 – A maneira convencional de acessar o modo de segurança consiste em pressionar a tecla F8 durante o boot, tão logo o POST termine a contagem da memória, mas existe outra forma que muita gente desconhece: com o sistema inicializado normalmente (ou seja, com o Windows sendo executado), clique em Iniciar > Executar, digite "msconfig" (sem as aspas) e pressione Enter. Na janela do utilitário de configuração do sistema, clique na aba BOOT.INI, habilite a opção /SAFEBOOT e dê OK. Para reiniciar o sistema no modo normal (após desfragmentar o HD ou realizar outra tarefa de manutenção qualquer), torne a abrir o utilitário de configuração do sistema, clique novamente na aba BOOT.INI, desfaça as modificações implementadas, clique na aba Geral, marque a opção Inicialização Normal e reinicie o computador.

2 - Para abrir a interface do Defrag em linha de comando, clique em Iniciar > Todos os Programas > Acessórios > Prompt de comando, digite “defrag” (sem as aspas), tecle Enter e confira as opções disponíveis. Se quiser apenas uma análise, digite “defrag” (sem as aspas), dê um espaço, insira a letra correspondente ao volume desejado, dê outro espaço, acrescente o parâmetro -a (por exemplo: defrag C: -a) e tecle Enter. Se quiser um relatório mais detalhado, utilize o parâmetro –v; e caso queira desfragmentar a unidade, use o parâmetro -f e aguarde a conclusão do processo (se precisar interromper a desfragmentação a qualquer momento, o que não é recomendável, tecle Ctrl+C).

Note também que é possível configurar o sistema para desfragmentar automaticamente os arquivos de boot. Veja como:

1- Abra o Registro (clique em Iniciar > Executar, digite “regedit” – sem as aspas –, dê OK) e abra a pasta HKEY_LOCAL_MACHINE\SOFTWARE\MICROSOFT\Dfrg\BootOptmizeFunction.

2- No painel à direita, dê um clique com o botão direito em “Enable”, escolha “Modificar”, mude o valor de “X” (desabilitar) para “Y” (habilitar) e reinicie o computador.


OBSERVAÇÃO: Nunca edite o registro sem antes fazer um backup e criar um ponto de restauração do sistema (utilize o campo Pesquisar Blog para mais informações).

Amanhã a gente continua.
Abraços e até lá.
Postar um comentário