terça-feira, 9 de outubro de 2012

Migrando para o Windows 7 (2ª parte)

Depois de desembalar seu novo PC, leia atentamente o manual do usuário – o “grau de instalação” do SO pode variar conforme o fabricante, mas geralmente você terá de proceder somente a algumas configurações básicas (opções regionais e de idioma, horário e data, nome de usuário/empresa, nome do computador e criar sua conta de usuário e senha).

Em seguida, remova todo o crapware veio de brinde (para mais informações sobre a desinstalação de aplicativos, clique aqui). Note que programinhas como o SlimComputer ou o PCDecrapfier facilitam à beça esse processo, mas só faça o download depois de ativar o Firewall do Seven (Painel de Controle > Sistema e Segurança > Firewall do Windows) e habilitar – e atualizar – o antivírus que veio com sua máquina nova (assim você poderá acessar a Internet com relativa segurança até instalar sua suíte preferida).
O próximo passo será atualizar o sistema: abra o Painel de Controle, clique em Sistema e Segurança > Windows Update > Procurar atualizações e aplique todas as correções críticas disponíveis para o Windows e seus componentes (ao final, não deixe de ativar e configurar as e que as atualizações automáticas, mas lembre-se de que elas não contemplam softwares de terceiros, de modo que convém recorrer a freewares como o SECUNIA PSI, o R-UPDATER ou o UPDATE CHECKER para mantê-los sempre up-to-date.

Observação: Da mesma forma que o Windows vem desatualizado, é provável que existam drivers (de chipset e de dispositivos) mais recentes do que os que vieram pré-instalados na sua máquina. Para saber como proceder a propósito, clique aqui.

Amanhã a gente continua; abraços e até lá.

Em tempoParece incrível, mas é verdade: os “paulistanos” – que na eleição de 2010 ajudaram a eleger deputado o bizarro palhaço Tiririca – não só reelegeram gente que há muito vem mamando descaradamente nas tetas do erário municipal, mas também guindaram ao poder novas figurinhas bastante interessantes (clique aqui para acessar a lista completa).
Nos tempos de Ali Babá, eram apenas 40 ladrões; hoje, na Câmara Municipal de São Paulo, tem espaço para 55. Claro que nem todos os nossos vereadores são desonestos, mas custa acreditar que, a despeito da repercussão do julgamento do “mensalão”, os PTRALHAS elegeram 11 representantes, inclusive gente condenada à prisão por falsificar documento particular para fins eleitoraisComo disse o PODEROSO CHEFÃO, "o eleitor paulista está mais preocupado com uma eventual queda do Palmeiras para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro do que com o julgamento do mensalão".
Mas há uma luz no fim do túnel: 2,4 milhões de eleitores paulistanos (28% do total) votaram em branco, anularam o voto ou simplesmente deixaram de comparecer às urnas no último domingo. Para bom entendedor, meia palavra basta.  

Abraços a todos e até amanhã.
Postar um comentário