segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

DICAS PARA ACELERAR O WINDOWS

PRIMEIRO É PRECISO JULGAR PRA DEPOIS CONDENAR.

A velocidade vertiginosa com que a evolução tecnológica propicia a substituição de produtos de ponta por modelos ainda mais avançados leva os desenvolvedores de software a criar sistemas e programas cada vez mais exigentes, o que demanda componentes de hardware ainda mais poderosos, numa espécie de círculo vicioso sem fim. Entretanto, mesmo com a expressiva queda no preço dos computadores, a maioria de nós, pobres tupiniquins, não é capaz de se manter up-to-date com o que há de mais moderno no mercado, já que para tanto seria preciso substituir o PC a cada 18 meses, e olhe lá.
A boa notícia é que uma máquina ultrapassada não é necessariamente obsoleta ou inutilizável. Com um pouco de sorte e um plano de manutenção preventivo-corretiva adequado, é possível mantê-la ativa e operante por anos a fio - mas convém não esperar que ela assuma “do nada” a capacidade de exibir filmes em Blu-Ray ou 3D, por exemplo, ou se torne compatível com os games radicais mais recentes. É o feijão com arroz e um abraço.
Vejamos a seguir algumas dicas para evitar que o passar do tempo desgaste o desempenho do Windows a tal ponto que usar o computador se torne um verdadeiro calvário:

·        Sistema lerdo pode sinalizar infecções virais. Mantenha seu arsenal de defesa atualizado (lembre-se de que suítes pagas devem ter a licença renovada anualmente) e faça verificações completas a cada quinze dias. Para obter uma segunda opinião, tecle Windows+R para acessar o menu Executar, digite MRT, tecle Enter e siga as instruções para rodar a Ferramenta de Remoção de Software Mal Intencionado da Microsoft.

·        Descartada a hipótese de malwares, crie um ponto de restauração do sistema (dê um clique direito em Computador, selecione Propriedades > Proteção do Sistema > Criar..., digite o nome desejado, clique em Criar e aguarde a mensagem de êxito).

·        Clique em Computador, dê um clique direito sobre sua unidade de sistema (geralmente C:), selecione Propriedades e anote os valores correspondentes aos espaços livre e disponível exibidos no campo Disco Local.

·        Transfira para dispositivos externos (ou mídias ópticas) todos os seus vídeos, clipes, músicas e demais arquivos que você não acessa com frequência e apague arquivos duplicados, redundantes e desnecessários. Abra então o Painel de Controle, clique no link Desinstalar um programa e remova todos os inutilitários.

Observação: Considere a possibilidade de remover também os aplicativos úteis que você possa substituir por serviços online (que dispensam instalação, não ocupam espaço no HD e consomem pouquíssimos recursos do sistema, já que o trabalho pesado é executado na nuvem através do seu navegador).

·        Dentre os aplicativos restantes, identifique quais deles “pegam carona” na inicialização do Windows. Tecle Windows+R, digite msconfig, dê OK, clique na guia Inicialização de Programas e desmarque as caixas de verificação correspondentes àqueles que não precisam ser mantidos em stand-by.

·        Volte agora à tela das Propriedades de C:, pressione o botão Limpeza de Disco, certifique-se de que todas as caixas de verificação estejam assinaladas, dê OK nas caixas de diálogo que surgirem em seguida e aguarde a conclusão da limpeza (na aba Mais Opções, você pode liberar um bocado de espaço removendo os pontos de restauração do sistema que o Windows cria regularmente, mas só o faça se seu PC estiver estável).

·        Clique então na aba Ferramentas e no botão Verificar agoraMarque as duas opções (Corrigir erros.../Procurar setores...), clique em Sim para agendar uma verificação e reinicie o computador. Concluída a verificação, clique Desfragmentar agora e aguarde o resultado.

ObservaçãoTanto a correção de erros quanto a desfragmentação dos dados dispensam a intervenção do usuário, mas, dependendo dos recursos da máquina, do tamanho e das condições do disco, eles podem demorar algumas horas. Você pode usar o AGENDADOR DE TAREFAS do Windows para automatizar a limpeza do disco e o configurar o Defrag do Windows para entrar em ação em data e horário previamente agendados, mas a correção de erros deve ser convocada manualmente, pois requer a reinicialização do computador.

Concluídas essas etapas, volte à tela das Propriedades de C: e, em Disco Local, compare os números correspondentes aos espaços Livre e Disponível com os anotados anteriormente – se você não investia em manutenção há tempos e nem tinha configurado a execução automática dos utilitários, o ganho será expressivo.

Observação: O roteiro acima é basicamente o mesmo desde os tempos dos 9x/ME, mas os utilitários nativos do Windows vêm sendo aprimorados a cada nova edição. Segundo o festejado Benito Piropo, o Defrag do Seven nada fica devendo aos melhores desfragmentadores de varejo, razão pela qual eu o mantenho configurado para desfragmentar o HD em segundo plano - mas aciono de tempos em tempos o Boot Time Defrag do Smart Defrag para desfragmentar os arquivos do sistema que ficam bloqueados quando o Windows está sendo executado.    

Amanhã a gente continua. Até lá.
Postar um comentário