quarta-feira, 19 de novembro de 2014

CAPTURA DE TELA – OPÇÃO NATIVA (PrtSc) E ALTERNATIVA (Shotty)

SABEDORIA É A ARTE DE TORNAR A VIDA MAIS AGRADÁVEL E FELIZ POSSÍVEL.

Aqueles que acompanham este Blog sabem que a tecla PrtSc (PrintScreen) permite capturar um screenshot do conteúdo exibido na tela, que, se pressionada em conjunto com tecla Alt (Alt+PrtSc), ela cinge esse “instantâneo” àquilo que está sendo exibido em primeiro plano (como um menu aberto ou uma janela ativa), e que a imagem pode ser colada diretamente num arquivo do Word, por exemplo, ou ser previamente editada com o auxílio de um software de edição gráfica como o Paint.
A partir do Seven, todavia, o Windows incorporou uma Ferramenta de Captura mais versátil, com recursos e funções equivalentes aos dos freewares dedicados disponíveis na Web. Com ela é possível, por exemplo, capturar uma janela inteira, uma seção retangular da tela, ou mesmo fazer um contorno à mão livre com o mouse (ou com o dedo, se você estiver usando um computador com tela sensível ao toque), e em seguida poderá anotar, salvar ou enviar por email a imagem usando botões diretamente na janela da Ferramenta de Captura.

Cumpre salientar que essa ferramenta não está disponível nas edições Starter e Home Basic. Em sendo o caso, ou você se conforma com os recursos espartanos do PrintScreen, ou recorrer ao Shotty, por exemplo, que é gratuito, mas competente e fácil de usar (para mais informações e download, clique aqui).

Observação: Antes que alguém pergunte, o tal SysRq grafado na tecla PrtSc é a abreviação de System Request e serve para alterar o Alto Contraste da tela (é preciso pressioná-la em conjunto com Alt+Shift). Já no Linux, ela funciona como atalho no sistema em modo de console.

Antes de encerrar, leia isto:

09 de novembro de 2014 • 09h42 • atualizado às 10h02

PAÍS SERÁ RESSARCIDO EM HISTÓRICOS R$ 500 MILHÕES NA OPERAÇÃO LAVA JATO. VALOR É O MAIOR JÁ DEVOLVIDO AOS COFRES PÚBLICOS NA HISTÓRIA DO PAÍS.

Pelo menos R$ 500 milhões devem retornar aos cofres públicos do País devido a acordos de delação premiada e colaboração, formalizados entre o Ministério Público Federal e os réus da operação Lava jato, que investiga o esquema de corrupção, desvios de recursos e pagamento de propinas na Petrobrás.
O valor, que corresponde a 11 vezes tudo o que já foi ressarcido desde 2004, quando o MJ criou um órgão especifico para tratar da recuperação de ativos, é o maior já devolvido aos cofres públicos na história do País. Nessa conta não entra o montante que os políticos a quem o esquema beneficiava teriam recebido de propina. Segundo o depoimento de Paulo Roberto Costa, a maior parte do dinheiro desviado era dividida entre três partidos políticos: PT, PP e PMDB. O PT ficava com até 3% do valor dos contratos de obras superfaturadas (leia mais em http://bit.ly/1uNOcT6).

E tem gente que ainda vota nesse bando de canalhas!
Um ótimo dia a todos.
Postar um comentário