quarta-feira, 12 de novembro de 2014

MSCONFIG - MELHORANDO O DESEMPENHO DO PC SEM REINSTALAR O WINDOWS

COMPREENDER A VIDA EXIGE QUE SE OLHE PARA TRÁS, MAS PARA VIVÊ-LA É PRECISO OLHAR ADIANTE.

Depois de alguns meses de uso, o PC começa a dar sinais de perda de fôlego: a inicialização demora, os programas mais “pesados” custam a abrir e o sistema “congela” quando roda vários aplicativos ao mesmo tempo. Claro que isso tende a ser mais recorrente em máquinas de baixo preço e configuração modesta, mas mesmo as de topo de linha não desobrigam o usuário de reinstalar o Windows de tempos em tempos.
É certo que a reinstalação do Seven dispensa quase que totalmente a interação do usuário, mas isso não torna as etapas subsequentes (atualização, reconfiguração e personalização do sistema, resgate de backups, reinstalação de aplicativos, remoção de crapware etc.) menos aborrecidas e trabalhosas, razão pela qual é fundamental investir em manutenções preventivo-corretivas e assim espaçar ao máximo o intervalo entra as reinstalações.
Se lhe incomoda o tempo que o PC vem levando para inicializar, tenha em mente que quanto mais enxuto o sistema, melhor seu desempenho e menor o risco de incompatibilidades. Entupir o HD com inutilitários apenas porque eles são gratuitos é uma péssima ideia, já que a maioria pega carona na inicialização do Windows e fica consumindo recursos valiosos (tais como processamento e memória) sem oferecer qualquer contrapartida de ordem prática. Então, use o Iobit Unistaller, o Revo Uninstaller ou o Comodo Programs Manager para remover o crapware pré-carregado e os inutilitários que você instalou. Ao final, rode o CCleaner (ou outra suíte de manutenção de sua preferência) para eliminar quaisquer resquícios deixados para trás durante a desinstalação.
Depois de “enxugar” a lista de aplicativos, convoque o Utilitário de Configuração do Sistema (pressione as teclas Win+R, digite msconfig na caixa do Menu Executar, tecle Enter e forneça seus dados de administrador, se solicitado), clique na aba Inicialização de Programas e confira a lista de aplicativos que são executados quando o computador é inicializado. Via de regra, o arranque pode ser configurado durante a instalação do programa, ou mesmo a posteriori, via Ferramentas ou Configurações. No entanto, há casos em que o usuário precisa desmarcar as caixas de seleção respectivas para desabilitar a inicialização automática no próximo boot. Note que isso não remove os programas do computador, apenas evita que eles sejam carregados com o Windows (para reverter o quadro, se necessário, é só tornar a marcar as caixas e reiniciar o computador).

Observação: antivírus e o firewall são exemplos de aplicativos que devem ficar em alerta permanente, mas manter o Adobe Reader, o iTunes, o Windows Media Player e outros que tais em stand-by é desperdiçar recursos do sistema.

Claro que é mais fácil e seguro fazer ajustes dessa natureza com o Gerenciador de Inicialização do Advanced System Care, o Startup Optimizer do System Mechanic ou o Soluto, dentre tantos outros utilitários de terceiros (alguns permitem até retardar a inicialização do aplicativo, de modo a agilizar o carregamento do sistema). Note ainda que inibir a inicialização automática de um programa não impede sua utilização, embora faça com que ele demore um pouco mais para abrir quando for convocado.

Amanhã a gente continua; abraços e até  lá.
Postar um comentário