sexta-feira, 22 de maio de 2015

LIBRE OFFICE, OPEN OFFICE, GOOGLE DOCS, MS OFFICE ONLINE & CIA.

MELHOR COPIAR O BOM DO QUE INVENTAR O RUIM.

Se nenhuma das opções do MS OFFICE examinadas na postagem de ontem lhe agradou ─ ou coube no seu bolso ─, veja agora algumas alternativas gratuitas bem legais, tanto para instalar quanto para usar a partir do navegador (na nuvem).

Dentre as opções instaláveis, o LIBRE OFFICE reúne aplicativos similares ao Word, Excel, PowerPoint e outros que permitem desenhar, gerenciar bancos de dados, etc. Ele salva os arquivos no formato .ODF, que é compatível com os formatos usados pelo MS OFFICE (para saber como o LO 4.4 se compara ao Office 2013, clique aqui). Outra suíte igualmente gratuita e de código aberto é o OPEN OFFICE, que oferece compatibilidade praticamente total com os documentos criados pelos aplicativos da Microsoft e tem um visual bastante familiar.

Caso você prefira um serviço online ─ que dispensa instalação (e conseqüente remoção), não ocupa espaço e quase não consome recursos do sistema, pois roda diretamente a partir do navegador e o trabalho pesado é feito na nuvem ─, o Google pode ter a solução para o seu problema. Para conferir, acesse o site www.google.com.br, faça logon (se não tiver uma conta, clique aqui para criá-la), clique no ícone Aplicativos (como mostra a figura acima à
direita), clique em Mais, selecione a opção Documentos e escolha a ferramenta desejada (oriente-se pela figura abaixo à esquerda). Para mais informações, clique aqui.

Observação: Documentos de texto, planilhas, apresentações e demais arquivos criados no Google Apps são salvos por padrão no Google Drive (mais informações nesta postagem), mas basta você dar um clique direito sobre eles para baixá-los para o computador ou adotar qualquer uma das demais ações disponíveis no menu suspenso.

Para ter uma ideia de como é a janela da ferramenta do Google Apps que substitui o MS Word, observe a fac-símile a seguir:


Se preferir se manter fiel ao velho tio Bill ─ desde que isso não implique em incomodar os escorpiões que você mantém no bolso, naturalmente ─, há duas alternativas: o MS OFFICE 2010 STARTER FREE e o MS OFFICE ONLINE. A primeira é instalável e integra o Word e o Excel; a segunda roda diretamente do navegador e acrescenta o PowerPoint. Ambas são excelentes quebra-galhos, ainda que usuários mais exigentes possam torcer o nariz para o leque de recursos mais modesto que o das versões completas. Por outro lado, os webapps podem ser acessados a partir de qualquer dispositivo que conecte a Internet, facilitando a edição colaborativa ─ ou seja, todas as pessoas envolvidas num mesmo projeto podem editar o documento simultaneamente, evitando a indesejável criação de múltiplas versões do mesmo trabalho. Veja abaixo o fac-símile da tela do Word online:



Observação: Usei o Word Starter 2010 durante meses a fio, até que me vi forçado a desinstalá-lo porque ele passou a demorar para abrir e a deixar de responder quando eu tentava encerrá-lo. Como desta feita eu não consegui encontrar os arquivos de instalação respectivos no site da Microsoft, tentei fazer o download a partir de outras fontes, mas meu antivírus detectou a existência de elementos nocivos, e isso me fez desistir.         

Por último, mas não menos importante, o ZOHO APPS, que oferece nada menos que 21 serviços gratuitos na nuvem, dentre os quais substitutos para Word, Excel e PowerPoint. Para utilizá-los é preciso criar uma conta, a partir da qual o interessado ganha 5 GB de espaço para armazenar seus arquivos ─ que também podem ser salvos no computador, naturalmente, com as consagradas extensões utilizadas pelos aplicativos do MS Office. Para quem não se contenta com os aplicativos online oferecidos pelo Google e pela Microsoft, talvez essa seja a alternativa mais adequada.

E como hoje é sexta-feira:

Da praia, um homem vê um barco virar e ouve alguém gritar desesperadamente por socorro.
Decidido a salvar o pobre infeliz, o homem avança através da arrebentação com braçadas vigorosas e, depois de mergulhar e trazer o (quase) afogado de volta à tona, constata tratar-se do nosso insigne ex-presidente da república.
- Obrigado, muito obrigado – diz Lula, ofegante.
O homem larga o dito-cujo e começa a nadar de volta à praia. Desesperado, o desempregado que deu certo volta a gritar por socorro, ao que seu (quase) salvador responde:
- Não seja dramático, se o deixo é para seu próprio bem. Encare isso como uma oportunidade de finalmente aprender a nadar.   

Abraços a todos e até segunda, se Deus quiser.
Postar um comentário