domingo, 29 de outubro de 2006

Microsoft aperta o cerco no combate à pirataria com dois novos recursos

Além de ser domingo, hoje é dia de eleição. Por conta disso, vou me limitar a uma rápida postagem e, depois, cumprir meu "dever cívico" - ainda que não com grande entusiasmo... enfim, "alea jacta est".
A quem interessar possa, o Internet Explorer 7, liberado para download na última semana, embute um componente do Windows Genuine Advantage (WGA) que checa se a cópia do sistema operacional do usuário é legítima. Já o pacote Office também deverá ser submetido a checagens atipirataria obrigatórias.
A Microsoft garante que essa validação será rápida e simples para o usuário: o OGA, atualmente em fase de testes e disponível em 26 línguas em todo o mundo - inclusive no Brasil - é um programa semelhante ao WGA (lançado em junho de 2005 para verificar se o Windows que o você utiliza é original).
No Windows Vista, a empresa integrou a checagem de autenticidade como parte do que chama de "Software Protection Platform". Apesar do sistema automático de validação, o usuário deverá ativar sua cópia do software com uma chave válida em 30 dias, ou o sistema funcionará com recursos limitados (por exemplo, você só poderá navegar na internet por uma hora; depois disso, o sistema irá desconectá-lo, e você terá de se autenticar novamente).
Para encerrar por hoje, sugiro a todos que votem conscientemente. Mais vale acender uma vela do que amaldiçoar a escuridão.
Bom domingo - e que Deus nos ajude.
Postar um comentário