quinta-feira, 17 de abril de 2008

Atualização do BIOS

Prosseguindo no assunto focado na postagem de ontem, vale lembrar que todo projeto passa por atualizações durante seu ciclo de existência, e o computador não é exceção.
É natural que uma máquina configurada para um contexto de dois ou três anos atrás não suporte componentes fabricados posteriormente - ou que tenha problemas para operá-los, ou ainda que não seja capaz de tirar pleno proveito de todo o seu potencial.
Assim, à medida que surgem novos dispositivos e padrões, o BIOS precisa "evoluir" para reconhecê-los. Mas como ele não é um programa residente no HD, mas gravado numa pequena porção de memória existente num chip da placa-mãe, seu update costuma ser mais complicado que o dos demais softwares.
Máquinas modernas (que integram placas-mãe de fabricação recente) geralmente permitem atualizar o BIOS dentro do próprio Windows, aspecto que facilita sobremaneira o processo e o torna bem mais seguro. Já em PCs antigos, é preciso recorrer a um programa especial fornecido pelo fabricante do computador ou do BIOS. Em qualquer caso, você deve identificar a marca, modelo e versão do seu BIOS (essas informações devem constar do manual do seu computador ou da placa-mãe, mas também são exibidas rapidamente na tela, durante o boot). Na impossibilidade, o site Win's BIOS Page (www.ping.bo/bios) ou o utilitário BIOS Agent (disponível em www.unicore.com/biosgent/index.cfm) podem lhe dar uma mãozinha. Feito isso, visite o site do fabricante do seu BIOS para saber se existem atualizações disponíveis e, caso afirmativo, qual o roteiro a ser seguido para instalá-las (é bem provável que seu programa seja da AMI ou da Phoenix, embora haja outros fabricantes de menor expressividade).
Pode ser necessário fazer o download da atualização e do utilitário de instalação (que podem vir combinados em um único arquivo), copiar tudo num disquete e - depois de acessar o Setup e assegurar-se de que o FDD esteja configurado em primeiro lugar na lista dos dispositivos de boot - reiniciar o computador com o disquinho inserido no drive, para que os dados da BIOS antiga sejam substituídos pelos da nova. É bom rezar para que tudo transcorra direitinho - e que não falte energia elétrica justamente nessa hora (alguns programas oferecem a possibilidade de fazer um backup do BIOS antes de atualizá-lo, o que é recomendável).
Note que algumas placas-mãe possuem um jumper destinado a impedir a regravação do BIOS; nesse caso, você deve desabilitar essa proteção (e tornar a habilitá-la ao final do processo). Note também que, ao reiniciar o computador depois da atualização, pode surgir uma mensagem de erro (tipo CMOS CHECKSUM BAD OR ERROR) - situação na qual você deverá zerar as informações do Setup (Clear CMOS) e refazer a configuração.
Devido ao risco de inviabilizar a inicialização do computador e ter de recorrer a profissionais especializados - ou mesmo de substituir a placa-mãe - o recomendável é fazer atualizações de BIOS somente em casos de real necessidade. Se seu PC estiver funcionando normalmente e não apresentar problemas de reconhecimento ou suporte a qualquer componente crucial, deixe tudo como está.
Bom dia a todos e até amanhã.
Postar um comentário