segunda-feira, 30 de junho de 2008

Dicas de segurança

Talvez os antivírus não sejam uma solução perfeita, mas dizer que utilizá-los é perder tempo e dinheiro (opinião do CSO da CISCO) me parece um pouco de exagero. Até porque os vírus de computador continuam ativos e operantes, mesmo considerando que os "programadores do mal" venham criando códigos maliciosos com outras finalidades que não simplesmente causar danos a internautas desprotegidos - como é o caso do spyware, que se tornou uma verdadeira praga.
Numa definição convencional e elementar, "vírus" são programas capazes de se reproduzir, mas o termo "spyware" remete a um vasto leque de programinhas nocivos (dos quais os trojans e os keyloggers são notáveis representantes) que visam pricipuamente à locupletação ilícita de quem os distribui. Essas pragas espionam nossas atividades on-line, recolhem informações sobre nossos hábitos de navegação, provêem acesso remoto não autorizado a nossos sistemas, capturam nossas senhas, números de cartão de crédito, e por aí vai.
Navegar na Web está mais para um safári do que para um passeio no parque, como eu costumo dizer, de modo que, além do antivírus, convém instalar um aplicativo de firewall e um software anti-spyware (use o campo Pesquisar Blog para mais informações a respeito).
Vale lembrar que os anti-spywares tradicionais funcionam da mesma maneira que os antivírus tradicionais, com base num banco de dados de "assinaturas" conhecidas. Assim, até que seus fabricantes identifiquem as novas pragas e disponibilizem as assinaturas, você estará desprotegido em relação às chamadas "ameaças do dia zero" (isso sem falar que muitos anti-spywares não oferecem proteção em tempo real, ou seja, não funcionam de forma preventiva).
Se você notar insistentes janelas pop-up (mesmo quando não estiver navegando), anúncios estranhos ou pornográficos, lentidão ou outro comportamento anormal do sistema, é provável que algum "bicho nojento" tenha transposto suas defesas. Nesse caso, atualize suas ferramentas de segurança e execute uma varredura completa.
Se isso não resolver, tente um serviço on-line como o Microsoft Live OneCare, por exemplo. Adicionalmente, abra o Gerenciador de Tarefas e verifique se a lista de processos inclui alguma coisa suspeita, mas tome cuidado, porque seu Windows pode se tornar instável se você matar um processo errado. E como a lista engloba dúzias de processos com nomes estranhos, convém pesquisá-los no Google ou diretamente em sites como o www.answersthatwork.com/Tasklist_pages/tasklist.htm e o www.pacs-portal.com.uk/startup_index.htm.

Boa semana e um ótimo final de mês a todos.
Postar um comentário