terça-feira, 6 de fevereiro de 2007

RSS

Semanas atrás, um visitante sugeriu que eu falasse sobre o RSS, mas o assunto acabou ficando de lado, devido a uma série de fatores que não vêm ao caso. Vamos agora suprir essa lacuna, até porque cada vez mais sites suportam esse serviço (e possuem pequenas figuras, geralmente na cor laranja, com os dizeres "RSS", "XML" ou "Atom").
A tecnologia RSS surgiu no final do século passado e foi criada originalmente pela equipe da Netscape - que abandonou o projeto, tempos depois, por não achá-lo viável. Mas uma empresa de menor porte decidiu dar continuidade ao desenvolvimento do RSS, para aplicá-lo em suas ferramentas de blogs.
Existem diversos grupos trabalhando com RSS, e é por isso que existem tantos nomes para essa tecnologia. Alguns a chamam de RDF Site Summary, outros a denominam Really Simple Syndication e há ainda os que a definem como Rich Site Summary. Mas, em linhas gerais, podemos dizer que RSS é um recurso (desenvolvido em XML) que permite aos responsáveis por sites e blogs divulgar notícias ou novidades. Para isso, o link e o resumo das notícias são armazenados num arquivo de extensão .xml, .rss ou .rdf (ou outras extensões), conhecido como feed.
Os feeds são chamados também de feeds RSS, feeds XML, conteúdo agregado ou feeds da Web, e apresentam um conteúdo constantemente atualizado e publicado pelos sites. Eles são usados geralmente em sites de notícias e blogs, mas servem igualmente para distribuir outros tipos de conteúdo digital, como imagens e arquivos de áudio e vídeo. Assim, o interessado deve incluir o link do feed do site desejado em seu programa leitor de RSS - também chamado de agregador -, cujas principais funções consistem em ler o conteúdo dos RSS que indexa e listá-las em sua interface.
Para entender isso melhor, vamos supor que você goste de ler um jornal online, por exemplo, mas não tem tempo para acessar o site várias vezes por dia. Então, você pode utilizar os serviços de RSS e, através de seu programa-leitor, clicar no nome do site (porque você pode ter mais que um) para convocar uma lista de notícias daquele endereço, que será exibida numa janela lateral (mostrando apenas o título da notícia - que é também um link para a matéria - ou acrescentando uma breve descrição, conforme o modo de trabalho do agregador). Aí, você vê a descrição de cada notícia, clica no link que lhe interessa e é redirecionado automaticamente à página que contém a matéria desejada.
Amanhã a gente complementa o assunto com algumas dicas práticas.
Abraços e até lá.
Postar um comentário