segunda-feira, 2 de abril de 2007

Limpeza... - conclusão

Depois de um breve recesso (para quem não reparou, eu não publiquei novos posts neste último final de semana), vamos retomar o assunto em pauta falando um pouco sobre as impressoras - embora não seja um periférico essencial ao funcionamento do computador, a maioria dos usuários domésticos utiliza uma impressora no seu dia-a-dia, razão pela qual ela também deve ser mantida limpa e em boas condições de funcionamento.
Para limpar a parte externa (caraça) , o paninho umedecido numa solução de água morna e detergente neutro (ou outro produto de limpeza à base de amoníaco, como o tradicional Ajax) é suficiente, mas o mais importante é você abrir o software de impressão, de tempos em tempos, localizar a opção de limpeza das cabeças de impressão (ou limpeza de jatos, como ela costuma ser chamada) e seguir as instruções do fabricante (consulte o manual da sua impressora, se necessário), evitando com isso que os cartuchos ressequem e que comecem a surgir falhas na impressão.
Por misturar peças mecânicas com uma eletrônica sofisticada, sua impressora é passível de apresentar uma série de problemas, muitos dos quais você mesmo pode resolver facilmente. Note que, além da fadiga natural decorrente do uso, há diversos fatores que contribuem para o mau funcionamento, como a utilização da máquina em em ambientes com clima muito seco (como salas com ar condicionado) ou em locais com grande incidência de calor e poeira.
Seja como for, antes de procurar ajuda especializada (dependendo do preço do conserto, às vezes é melhor comprar um equipamento novo), analise o problema apresentado e procure identificar suas possíveis causas. O manual (ou o arquivo PDF que acompanha o software da impressora) pode lhe oferecer dicas interessantes; não deixe de consultá-lo.
Adicionalmente:

1. Verifique se os cabos (de dados e de energia) estão devidamente conectados, tanto na impressora quanto no computador.
2. Veja se há energia na tomada que alimenta o aparelho (ou se o filtro de linha ou outro dispositivo de proteção não está com o filamento do fusível rompido).
3. Veja também se há papel na bandeja e tinta nos cartuchos (isso parece óbvio, mas nunca se sabe...).
4. Ao alimentar a impressora, ventile adequadamente o papel e não exceda a quantidade de folhas recomendada pelo fabricante. Além disso, nunca acrescente papel; remova as folhas remanescentes, junte as novas e recoloque tudo na bandeja.
5. Use sempre papel de boa qualidade e atente para a face imprimível (se houver).
6. Quando for substituir os cartuchos de tinta, atente para as instruções do fabricante e siga-as à risca, na ordem sugerida. Use a limpeza de jatos (mas não abuse, porque esse recurso consome uma quantidade absurda de tinta, sem falar que, em certos casos, atual simultaneamente sobre os cartuchos preto e coloridos).
7. Se enfrentar problemas de impressão logo após a troca dos cartuchos e a situação não se normalizar com uma única limpeza de jatos, não insista na operação. Experimente outro cartucho antes de recorrer a qualquer outra providência mais radical.
8. Assegure-se de ter instalado os drivers corretos (muitas anormalidades no funcionamento das impressoras é proveniente do uso de drivers inadequados ao modelo específico do aparelho ou incompatíveis com a versão do seu sistema operacional).
9. Se a impressora não "puxa" o papel (problema comum em modelos ink jet), uma das causas prováveis é o ressecamento das borrachas do rolo tracionador (às vezes, basta você limpá-las para que o papel volte a ser puxado normalmente). Já quando ela puxa várias folhas simultaneamente, verifique se você não está utilizando papel de má qualidade, se as folhas foram devidamente "ventiladas" e se a quantidade de papel existente na bandeja não é superior à recomendada pelo fabricante.
10. Evite inclinar sua impressora num ângulo superior a 45 graus, ou a tinta dos cartuchos poderá escorrer para a placa lógica e contaminar os sensores.

Boa sorte a todos, abraços e até amanhã.
Postar um comentário