segunda-feira, 6 de agosto de 2007

Aterramento, três pinos e três pontos...

Conforme deliberação do Conmetro (Conselho Nacional de Metrologia, órgão deliberativo do Inmetro), todos os aparelhos elétricos fabricados no Brasil a partir deste mês deverão ter plugues de três pinos. A discussão sobre a padronização e melhoria da segurança de nossos plugues e tomadas vem se arrastando há quase dez anos, e ainda que um novo padrão tenha sido definido pela ABNT em 2002, a coisa nunca "saiu do papel". Agora, todavia, os conectores-macho dos nossos eletro-eletrônicos passarão a ter não dois, mas três pinos, e contar com um revestimento (luva) que, combinado com os novos conectores-fêmea rebaixados, diminuirão o risco de choques elétricos resultantes da inserção parcial dos plugues nas tomadas.
Com exceção dos computadores, impressoras e aparelhos afins, poucos eletrodomésticos nacionais trazem conectores de três pinos, visto que esse tipo de plugue pede tomadas de três pontos - que, por sua vez, são incomuns em nossas casas.
Vale lembrar que a energia que alimenta os aparelhos elétricos pode eventualmente escapar dos condutores (fenômeno conhecido como "fuga de corrente") e, se não houver um sistema que funcione como "saída de emergência" (aterramento), provocar danos nos equipamentos e choques nos usuários.
Por falar em usuários, a muitos de nós utilizamos adaptadores para inserir plugues de três pinos em tomadas de dois pontos. Mas essa prática é condenável (pelo menos do ponto de vista da segurança), já que o correto seria substituir a tomada convencional por um modelo de três pontos (o que é simples de se fazer), ligando o conector extra ao fio terra da instalação elétrica (o que já não é tão simples, visto que a maioria dos imóveis não conta com um aterramento responsável).
Existem soluções paliativas (para não dizer "remendos" ou "gambiarras"), como ligar o orifício terra da tomada a um cano da rede hidráulica (desde que metálico), ou fazer uma "ponte" (com um pedaço de fio) entre o terra e o polo neutro da tomada (dessa forma, você estará aproveitando o aterramento da própria rede elétrica, mas será brindado com um belo curto-circuito, caso a polaridade da instalação seja invertida posteriormente). Entretanto, para resolver definitivamente o problema, ou você contrata um eletricista competente para fazer o aterramento adequado da instalação, ou compra um imóvel novo a partir de 2009 - que já deverá obedecer o novo padrão de plugues e tomadas. Fica a seu critério.
Em tempo: Se sua casa ou escritório tiver mais de dez anos (o que não é nada incomum), a instalação elétrica deve estar subdimensionada para a quantidade de aparelhos elétricos que você utiliza atualmente (fiação de bitola inadequada e fuzíveis e/ou disjuntores operando "no limite" representam riscos constantes de curtos-circuitos e até de incêncios).
Bom semana a todos e até amanhã.
Postar um comentário