terça-feira, 31 de março de 2015

BROADCAST, CHROMECAST & CIA e GOOGLE CAST FOR AUDIO

A COMUNICAÇÃO É O MORDOMO DAS CRISES.

Até algum tempo atrás, o termo inglês BROADCAST (“envio em larga escala”, numa tradução livre) era traduzido como “radiodifusão”, mas o surgimento de outros meios de comunicação além do rádio e da TV lhe deu maior abrangência, de modo que, atualmente, ele remete a “compartilhamento de mídia em larga escala” e, no âmbito da Internet, designa serviços que permitem compartilhar conteúdos multimídia, notadamente vídeos e músicas.

Há cerca de dois anos, o Google lançou o Chromecast serviço de streaming que usa uma rede Wi-Fi e um dongle (dispositivo que pode ser adquirido em lojas de departamento e grandes magazines por cerca de R$ 200) para transformar televisores convencionais em SMART TVs, ou por outra, agregar-lhes a capacidade de reproduzir determinados conteúdos da WEB enviados a partir de um computador, smartphone ou tablet com sistemas Windows, Mac OS, Linux, Google OS e Android. Assim, você pode assistir a filmes do Netflix e clipes de vídeo do YouTube na tela da sua TV e compartilhá-los com seus familiares sem obrigá-los a ficar amontoados diante da telinha do note. E com os programinhas adequados, é possível dispensar o projetor nas apresentações, usar o smartphone ou tablet para fazer desenhos simples e exibi-los telona, e por aí vai (o serviço é atualizado automaticamente para rodar cada vez mais aplicativos).

Observação: A partir do último dia 17, vídeos rodados no dongle usando vários aplicativos de streaming podem ser pausados ou tocados por meio do controle remoto da TV. O recurso já está disponível e não requer qualquer atualização de software.

O principal concorrente do Chromecast é a Apple TV, lançada em 2007, que oferece mais opções, mas custa mais caro (cerca de R$ 400) e é compatível apenas com máquinas que rodam o OS X (para Windows, é preciso instalar um aplicativo chamado AirParrot). Existem ainda alternativas menos populares, mais caras e difíceis de encontrar, dentre as quais o Veebean HD que suporta nativamente o Windows e o OS X e oferece basicamente as mesmas facilidades dos concorrentes e o WD TV Live Hub que é compatível com os formatos de arquivos mais populares e permite ouvir músicas, ver fotos e a filmes (tanto gravados pelo próprio usuário quanto do YouTube, Facebook, Netflix e outros mais).

Para concluir, vale lembrar o Google Cast para áudio promete fazer com o streaming de áudio o que a AirPlay da Apple não conseguiu. O conceito e o suporte a sistemas operacionais são basicamente os mesmos do Chromecast, as caixas acústicas compatíveis deverão estar disponíveis em breve (no mercado norte-americano). Dentre os aplicativos suportados estão o Deezer, o Google Play Music, o iHeartRadio, o NPR One, o Pandora, o Rdio e o TuneIn. É esperar para ver.



Abraços a todos e até mais ler.
Postar um comentário