sexta-feira, 16 de setembro de 2016

DICAS PARA APRIMORAR A SEGURANÇA DIGITAL

BONS ARTISTAS COPIAM, GRANDES ARTISTAS ROUBAM, VERDADEIROS ARTISTAS SIMPLIFICAM. 

VEJA COMO APRIMORAR SUA SEGURANÇA DIGITAL

O aumento exponencial do roubo digital de informações demanda a adoção de medidas preventivas contra a ação de cibercriminosos ― que, segundo o volume 21 do Internet Security Threat Report da Symantec, só no ano passado expuseram informações pessoais de mais de 400 milhões de usuários. Isso sem mencionar que, nesse mesmo período, foram encontradas 431 milhões de variações de malwares e identificadas 5.585 novas vulnerabilidades, sendo 54 delas consideradas “ameaças dia-zero” ― que exploram falhas de segurança desconhecidas ou não corrigidas ―, o que representa um crescimento de 125% em comparação a 2014.

Esses números sugerem um cenário bem pouco alvissareiro, mas a boa notícia é que você só precisa seguir algumas dicas simples para aumentar significativamente sua segurança ao navegar na Web ou acessar arquivos no PC. Confira:

Verifique se o URL da página que você vai acessar é precedido por “https” (o “s” simboliza uma conexão segura, na qual os dados são criptografados):
Muitos web services utilizam esse protocolo de segurança por padrão ― como é o caso do Gmail ―, ao passo que outros ― como o Yahoo! e o Facebook ― deixam o ajuste por conta do usuário, que nem sempre consegue encontrar o caminho das pedras através dos pouco intuitivos menus de configuração de suas plataformas. Fique atento, portanto.

Senhas seguras:
Muito já foi dito no meu Blog sobre a importância de se criar e utilizar senhas seguras (confira detalhes nesta postagem), mas vale relembrar que também é possível aprimorar a segurança no acesso a web services com o logon em dois passos ― no qual, além do nome de usuário e senha, é preciso informar um código adicional enviado para o endereço de email ou número do celular cadastrado pelo internauta. Todavia, por um processo mais trabalhoso e demorado, o logon em dois passos costuma ser solenemente ignorado, da mesma forma que o uso de senhas complexas, devido às dificuldades de memorização. Depois, não adianta chorar!  

Observação: No caso das senhas, um gerenciador facilita sobremaneira a vida dos internautas. Há diversas opções, tanto pagas quanto gratuitas. Dentre estas últimas, eu sugiro o Steganos Password Manager, que armazena dados de logon de diferentes sites e inicia automaticamente as sessões, além de gerar senhas seguras e diferentes para cada conta, robustecendo ainda mais a proteção.

Use no dia a dia uma conta de usuário com poderes limitados:
Conforme também já salientei em outras postagens, criar uma segunda conta de usuário no computador, configurá-la com poderes limitados e usá-la no dia a dia é uma providência mais que bem-vinda, pois impede que ações invasivas ― como reconfigurações abrangentes, instalação de hardware e software, ou mesmo danos promovidos por malwares ― sejam levadas a efeito sem que seja informada previamente uma senha de administrador. Note que isso não só previne a desconfiguração acidental do sistema, mas também dispensa a trabalhosa reinstalação do Windows no caso de alguma praga mais renitente burlar a proteção do antivírus (nesse caso, basta você se logar com sua conta de administrador, excluir o perfil infectado. criar uma nova conta limitada e seguir adiante como se nada tivesse acontecido).

Observação: a Microsoft vem aprimorando sua política de contas de usuário e senhas de acesso ― que só passou a oferecer alguma proteção efetiva a partir do XP ― a cada nova edição do seu festejado sistema operacional (mais detalhes nesta postagem). Para criar uma nova conta no Windows 10, abra o menu Iniciar, clique em Configurações > Contas > Família e outros usuários > Adicionar outra pessoa a este PC, digite um nome de usuário, defina uma senha, uma dica de senha, clique em Avançar, e pronto.

Instale uma Internet Security:
A conta limitada não o desobriga de manter um arsenal de defesa responsável. Aliás, como existem diversas modalidades de malware e técnicas de invasão (acesso remoto não autorizado ao computador) que não são barradas/neutralizadas por um simples antivírus, é recomendável optar por um pacote tipo Internet Security (ou suíte de segurança), que reúne antivírus, firewall antispyware e, em alguns casos, anti-spam e outras ferramentas igualmente interessantes. Claro que você pode “montar” seu próprio pacote, mas programas de fabricantes diferentes tendem a conflitar entre si, comprometendo tanto a eficácia da proteção quanto a estabilidade do sistema. A boa notícia é que existem dezenas de opções de suítes de segurança, tanto pagas quanto gratuitas ― para saber mais, digite “segurança”, “antivírus” ou “suíte de segurança” na caixa de pesquisa do Blog, pressione a tecla Enter e vasculhe as postagens indicadas pelo buscador.
Criptografe seus dados confidenciais:

Por último, mas não menos importante, um recurso cujo uso é enfaticamente recomendável ― mas que muita gente desconsidera por achar trabalhoso ou complicado ― é a criptografia (para saber mais, acesse este post). Também nesse caso há um vasto leque de opções que simplificam enormemente a vida do usuário, como a Steganos Privacy Suite, que encripta arquivos mediante a criação de cofres virtuais, além de criptografar emails, senhas e ativar funções para resguardar a privacidade online. Caso queira aprimorar ainda mais sua segurança na Internet, não deixe de conhecer o Steganos Online Shield VPN, que eu analisei nesta postagem.

Para mais informações sobre esses e outros apps de segurança desenvolvidos pela Steganos, acesse o site oficial (em português).

E como hoje é sexta-feira...


Postar um comentário