quarta-feira, 27 de dezembro de 2006

Registro

Se você leu a dica apresentada no post de ontem, deve ter reparado que, mediante a edição manual do Registro do Windows ME, é possível acrescentar a esse sistema um recurso nativo da versão XP.
É óbvio que essa dica interessa apenas a quem utiliza a versão mais antiga do sistema; eu a postei a pedido de um visitante e só pude fazê-lo sem grandes dificuldades porque usei o ME durante alguns anos - e também porque me sentia incomodado pelo comportamento instável da Barra de tarefas.
O aspecto que quero salientar neste post é o fato de muitas configurações avançadas do Windows dependerem da edição do Registro. Nós já vimos aqui no Blog como fazer diversas personalizações via menus e miniaplicativos do Painel de Controle, mas eu tenho relutado em incluir dicas que exijam modificar Registro, porque isso pode ser arriscado se levado a efeito por usuários menos experientes e/ou sem a adoção de medidas de segurança adequadas.
O Registro funciona como uma espécie de "sistema nervoso", armazenando informações essenciais sobre as configurações do SO, do hardware, dos programas instalados e dos perfis dos usuários do computador. Toda vez que ligamos o PC, o Windows verifica e faz uso dessas informações, que são salvas (com as possíveis alterações) ao final de cada sessão, quando a máquina é desligada, e novamente carregadas por ocasião do próximo boot.
No XP, esse importante banco de dados é composto por cinco chaves principais (nas versões 98/ME, elas são em número de seis), com subchaves, seções e entradas de valores que, num PC doméstico comum, podem chegar a dezenas de milhares.
Usuários do XP e do ME podem (e devem) criar pontos de restauração antes de se aventurarem a fazer incursões pelo registro (já vimos como fazer isso), como também fazer cópias das porções específicas que serão modificadas, de maneira que, se algo der errado, seja fácil reverter o sistema às condições anteriores.
A quem interessar possa, esse assunto foi discutido detalhadamente nos nossos livrinhos sobre o Windows, em especial na edição número 7 da CGFI (Windows para usuários intermediários), mas eu resolvi incluí-lo também aqui no blog porque alguns truques e macetes que irei postar na sequência requerem editar manualmente o Registro do Windows.
Vale salientar, por oportuno, que software é software: ainda que eu tome o cuidado de postar apenas dicas reconhecidamente funcionais, nem tudo funciona em todos os computadores, de modo que, se você quiser experimentar, deverá fazê-lo por sua conta e risco (minha mãe não tem nada a ver com isso) e nunca sem antes tomar os cuidados necessários para garantir uma reversão tranquila.
Amanhã a gente dá prosseguimento ao assunto.
Bom dia a todos e até lá.
Postar um comentário