segunda-feira, 3 de setembro de 2007

Câmeras Digitais - Primeira parte

Máquinas fotográficas não costumam fazer ou receber chamadas telefônicas, mas a maioria dos telefones celulares modernos é capaz de tirar fotos e até gravar vídeos - ainda que de curta duração e de qualidade discutível. Claro que seus recursos são geralmente limitados - embora alguns modelos até surpreendam - , mas podem ser considerados satisfatórios para quem pretende apenas registrar festas ou encontros de amigos e exibir as fotos no computador ou publicá-las na Internet.
Caso seu celular não integre uma câmera - ou o resultado das fotos que ele faz fique aquém da sua expectativa -, há no mercado um vasto leque de marcas e modelos de máquinas fotográficas digitais que aliam preços acessíveis a altas resoluções e funcionalidades interessantes. Todavia, é bom ter em mente que o celular nos acompanha durante boa parte do tempo - sendo bem mais funcional na hora de fotografar instantâneos do quotidiano -, ao passo que a câmera, passado o entusiasmo inicial inerente a qualquer "brinquedo novo", tende a ficar esquecida no fundo de uma gaveta até as próximas férias ou sabe lá Deus quando... enfim, o dinheiro é seu.
Via de regra, o aspecto que mais nos motiva a migrar de uma máquina convencional para a digital é a possibilidade de tirar e armazenar centenas de fotos - sem ter despesas com filmes e revelações - e de enviá-las por e-mail ou publicá-las na Web sem grandes dificuldades. Já na hora de escolher o modelo, a característica que mais nos chama a atenção é a resolução, embora esse não seja o único fator determinante da qualidade das fotos para impressão.
A verdade é que câmeras de muitos megapixels se tornaram verdadeiros "símbolos de status", e os fabricantes, sensíveis a esse apelo, vêm lançando novos modelos compactos de 10 e 12 MP (com preços variando entre 1,5 e 2,3 mil Reais), ainda que quase ninguém precise de toda essa resolução. Para entender isso melhor e evitar gastos desnecessários, é bom saber que as máquinas digitais obedecem aos mesmos princípios básicos das convencionais, só que, ao invés de filmes, elas usam sensores para captar a luz e convertê-la para o formato digital.
As imagens são decompostas em milhões de pixels (quanto mais megapixels, melhor a resolução), mas taxas entre 3 e 5 MP são plenamente satisfatórias para fotógrafos eventuais - sensores de 3 megapixels (2.048 x 1.536) geram imagens reproduzíveis em dimensões de 18 x 24 centímetros.
A quantidade de megapixels presente numa imagem corresponde ao número de pontos de cor (ou de luz) que o sensor é capaz captar - a título de comparação, um filme de 35 milímetros teria o equivalente a 20 milhões de pixels, ou seja, uma resolução correspondente à de uma câmera digital de 20 MP. Mas essa quantidade pode variar também por conta do tamanho dos sensores - e dos pixels nos sensores (sensores e pixels menores são mais susceptíveis a interferências eletromagnéticas (ou ruídos), responsáveis pelos "pontos sem resolução" nas imagens. Quando o sensor capta a imagem, o processador da máquina grava-a na memória como um arquivo JPEG (menor em tamanho e qualidade) ou TIFF (formato com maior qualidade e tamanho). Devido à taxa de compressão dos arquivos JPEG, cerca de 20% das informações de cor ou luz referentes à imagem capturada são perdidas, embora esse efeito só seja perceptível em grandes ampliações.

Resumo da ópera: é certo que o resultado final das fotos (especialmente para impressão) depende em grande parte da resolução, mas a qualidade da lente, o tamanho do sensor e de seus pixels e a velocidade de processamento também são importantes (ainda que nem sempre vistos como tal, ao menos aos olhos dos marinheiros de primeira viagem). Ainda assim, é bom ficar atento para a relação "custo x benefício": muitas câmeras compactas atuais custam praticamente o mesmo que suas predecessoras, embora já suportem 5 MP (séries de 2.560 x 1.920 pixels no sensor) e permitam reproduções de até 30 x 40 centímetros (mesmo que você não vá imprimir as fotos em tamanhos superiores a 10 x 15 centímetro, convém pesquisar os preços).

Amanhã a gente continua nesse assunto. Abraços a todos e até lá.
Postar um comentário