quinta-feira, 3 de abril de 2008

Durma-se com um barulho desses...

Como a maioria das máquinas, o PC também produz barulho ao funcionar. Entretanto, segundo os especialistas, o nível de ruído não deve ultrapassar 30 decibéis - equivalente a uma conversa em voz baixa a um metro de distância. Além desse limite, você deve considerar a possibilidade de substituir alguns componentes.
Ruído excessivo tanto pode ser causado por problemas específicos quanto pela "soma" dos barulhos produzidos por diversos componentes, dentre os quais os micromotores que movimentam os ventiladores. Mas vibrações inerentes à má qualidade do chassi ou montagem imprópria das peças também geram sons incomodativos, sem mencionar que o acúmulo de poeira no interior do gabinete pode impedir a circulação adequada do ar e exigir que os coolers trabalhem mais intensamente.
A fonte de alimentação utiliza uma ou mais ventoinhas operando em altas rotações, o que resulta num "sopro" constante - mais perceptível em ambientes silenciosos. Além disso, até o advento das CPUs de múltiplos núcleos, o aumento da capacidade de processamento era obtido mediante a integração de um número cada vez maior de transístores combinado com a elevação da frequência de operação. Isso não só elevava o consumo de energia, mas também gerava muito calor (foi-se o tempo dos 386, quando o exaustor da fonte de alimentação era suficiente para refrigerar o interior do gabinete).
O processador, quando exigido à fundo, faz a ventoinha do cooler trabalhar "a todo vapor", poduzindo um zumbido intenso. Tanto a AMD quanto a Intel oferecem dissipadores térmicos homologados e devidamente projetados para cada modelo de processador, mas é possível encontrar coolers eficientes e mais silenciosos - inclusve modelos "inteligentes", com sensores que aumentam ou diminuem a rotação das hélices conforme a necessidade.
Aceleradoras gráficas também geram calor, e o resfriamento das placas de vídeo mais poderosas costuma ser feito mediante a combinação por coolers e outros dispositivos de dissipação térmica. Alguns modelos de melhor qualidade dispensam o uso de ventoinhas, minimizando o nível de ruído produzido pela máquina como um todo.
Drives de HD, CD e DVD são dispositivos eletrmecânicos e, por isso, particularmente ruidosos. HDs antigos tendem a ser mais barulhentos do que os modernos - e aí não há muito a fazer a não ser, talvez, "embrulhá-los" num bom isolante acústico ou substituí-los por modelos mais recentes e silenciosos (recomendável). Quanto às leitoras (ou gravadores) de CDs e DVDs, vale optar por modelos que integram portinholas, que ajudam a abafar o barulho. Por outro lado, diferentemente do que ocorre em relação aos HDs - que funcionam durante todo o tempo em que a máquina está ligada -, o uso dos drives de mídia removível é eventual, o que torna o incômodo mais suportável.
Até mais ler.
Postar um comentário