segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Pondo os pingos nos "ii"

Revendo com mais vagar o comentário deixado pela Márcia na postagem do último dia 7, achei por bem retomar o assunto para dizer (ou repetir, visto que essas considerações são freqüentes aqui no Blog) que a Internet vem se tornando um ambiente cada vez mais inóspito. Assim, é imprescindível manter um antivírus responsável, atualizado e bem configurado – melhor ainda se, além de se basear na assinatura das pragas (lista de definições de vírus), a ferramenta for capaz de coibir também a ação de arquivos maliciosos com base em seu comportamento, prevenindo as “ameaças do dia zero” (veja mais sobre esse assunto na postagem de 08/10/08). Mas o arsenal de segurança dos usuários precavidos não estará completo sem um aplicativo de firewall (na pior das hipóteses, vale ativar a proteção nativa do XP) e um bom antispyware, conforme já mencionamos em outras postagens.
Por outro lado, não são apenas os incidentes de segurança que podem comprometer – ou mesmo inviabilizar – o funcionamento do computador. Como sabemos, a performance vai se degradando progressivamente com o passar do tempo e o uso normal da máquina, chegando e exigir, em casos extremos, a formatação do HD e a reinstalação do Windows. Isso porque a constante criação, modificação e exclusão de arquivos, a instalação e remoção de programas (nem sempre bem sucedida ou procedida da forma mais adequada), a profusão de chaves inválidas e entradas desnecessárias que são incorporadas ao Registro e o grande número de arquivos duplicados, temporários e outros que tais acabam resultando em lentidão e instabilidade.
Todavia, se nos habituarmos a adotar regularmente alguns procedimentos de manutenção preventivo/corretiva, poderemos manter o desempenho do sistema em patamares aceitáveis por anos a fio (nessas circunstâncias, usuários que trocam o PC a cada 24 ou 36 meses talvez nem precisem enfrentar as aborrecidas rotinas de formatação e reinstalação). Mas para isso é necessário contar com o auxílio de alguns programinhas de terceiros (como o Norton System Works, o System Mechanic, o CClener, o EasyCleaner, o MV RegClean 5.5, o Advanced System Care e tantos outros que já tivemos oportunidade de analisar e sugerir em nossas postagens), visto que as ferramentas nativas do Windows se limitam à limpeza do disco, correção de erros e desfragmentação dos dados.
Em face do exposto, tomo a liberdade de discordar da opinião do técnico que assiste nossa leitora. Embora diversos aplicativos e serviços on-line visam precipuamente comercializar as versões pagas de seus produtos (identificando uma quantidade enorme de “problemas” que só podem ser resolvidos mediante o pagamento da taxa de licença), há também aqueles que fazem um bom trabalho sem cobrar um tostão. Basta saber separar o joio do trigo, e é para isso que nosso Blog está sempre apresentando análises e sugestões de softwares interessantes.
Tenham todos uma boa semana.
Postar um comentário