quinta-feira, 29 de julho de 2010

Dicas sobre portáteis

A redução no preço – combinada com outros fatores cuja menção não vem ao caso para efeitos desta postagem – fez com que a venda dos portáteis ultrapassasse largamente a dos PCs de mesa. No entanto, diferentemente do que ocorre nos desktops – que podem ser facilmente abertos pelo usuário para procedimentos de manutenção e upgrade –, a maioria dos laptops até permite o acréscimo de memória ou a substituição do HD (ou mesmo do processador), mas para reparos e outros procedimentos mais “invasivos”, o jeito é procurar ajuda especializada.
Substituir a placa-mãe de um desktop, por exemplo, ainda que não seja uma tarefa tão simples quanto instalar um pente de memória, pode perfeitamente ser realizada por um usuário que tenha algum conhecimento de hardware e habilidade para executar serviços manuais. Num portátil, todavia, se a placa de sistema (que, aliás, tem componentes instalados de ambos os lados, de forma a ocupar o mínimo espaço possível) pifar, pode não haver outra opção que não comprar um aparelho novo.
Talvez a questão mais importante a ser avaliada por quem vai adquirir um laptop seja a utilização pretendida: para tarefas básicas como edição de textos, navegação na Web e que tais, um netbook ou um note de entrada de linha (com preços na faixa de 1 mil reais) podem ser boas opções; já para quem trabalha com edições de imagens, multimídia, e é fã de games radicais, é melhor escolher um modelo mais robusto, com tela maior, placa gráfica poderosa, fartura de memória e processador muitíssimo mais potente.
Caso você pretenda utilizar o aparelho "em trânsito", o cuidado na escolha deve ser redobrado: se a idéia for carregá-lo para todo lado, escolha um modelo cujo peso não ultrapasse 1,5 kg – até porque você provavelmente irá levar também o carregador e outros acessórios que, juntos, podem fazer do seu companheiro de viagem uma cruz difícil de carregar. Certifique-se também de que ele ofereça um módulo 3G para você instalar o cartão SIM de acesso à Web – já que um modem 3G conectado à porta USB é uma opção muito menos prática (e já que falamos em portas USB, três é o mínimo indispensável).
Amanhã a gente continua; abraços a todos e até lá.
Postar um comentário