quarta-feira, 17 de novembro de 2010

De volta (mais uma vez) à manutenção

Quem acompanha nossas postagens já sabe que (e porque) o desempenho do Windows decai com o uso normal da máquina, bem como que existem diversos programinhas (tanto pagos quanto gratuitos) capazes de facilitar os procedimentos de manutenção preventivo-corretiva e retardar consideravelmente uma eventual reinstalação do sistema. No entanto, nem sempre que o computador “começa a se arrastar” a culpa é do lixo acumulado, dos dados excessivamente fragmentados e/ou das entradas inválidas no registro. Há casos em que a lentidão decorre da desconfiguração do CMOS Setup (devido a uma interrupção inesperada no fornecimento de energia elétrica, por exemplo, ou ao desligamento da máquina durante o processo de boot – situações nas quais a configuração da velocidade das memórias pode ser reduzida, levando à queda de desempenho na execução dos aplicativos).
Em placas-mãe baseadas nos chipsets P55 e X58 da Intel, é comum a instalação incorreta de um dissipador de calor danificar as trilhas de um dos slots de memória, impedindo o sistema de detectar o módulo respectivo e forçando a utilização excessiva da “memória virtual” (simulada no HD), especialmente quando vários programas são abertos simultaneamente.
Outra causa possível de uma inesperada lentidão é o superaquecimento do processador. Modelos modernos, tanto da Intel quanto da AMD, reduzem automaticamente seu ritmo de funcionamento quando a temperatura ultrapassa determinado limite, o que pode ocorrer devido ao acúmulo de poeira nos coolers do processador e/ou do gabinete. Discos rígidos de fabricação recente também são capazes de detectar setores defeituosos e copiar automaticamente os dados para setores de backup definidos durante o processo de fabricação. Se você suspeitar de problemas dessa natureza, habilite o SMART para obter informações capazes de identificar um HD moribundo a tempo salvar seus arquivos antes que seja tarde demais.

Observação: Todos os HDs atuais contam com sistema chamado S.M.A.R.T., que gera um relatório e o armazena numa área de memória não volátil do disco. Embora esse recurso não tenha o condão de prever defeitos súbitos - como os causados por picos de tensão, por exemplo -, ele costuma ser eficiente na hora de alertar sobre o risco de defeitos mecânicos. Você pode acessar o relatório utilizando programas como o HDTune e o  SmartExplorer, ambos freeware.

Amanhã a gente continua; abraços e uma ótima semana a todos.
Postar um comentário