quinta-feira, 10 de julho de 2014

ARMAZENAR ARQUIVOS NO DESKTOP - SIM OU NÃO?

A NECESSIDADE É A MÃE DA INVENÇÃO.

O Desktop do Windows é o correspondente virtual da nossa mesa de trabalho, e mantê-lo livre de elementos estranhos às tarefas em execução é essencial para quem deseja operar o PC de forma mais produtiva. Aliás, há quem afirme que mantê-lo atulhado degrada o desempenho do sistema – o que talvez fizesse mais sentido nas configurações de hardware de antigamente, embora seja é inegável que essa prática resulte em polução visual. E mesmo que existam ferramentas destinadas a pôr ordem nessa bagunça (como o Fences 2, o My Cool Desktop e o Arrange Your Desktop, dentre outras), caso uma pane exija a restauração do computador os arquivos salvos no Desktop estarão menos protegidos do que os que tiverem sido armazenados em pastas como Documentos, Músicas e Imagens, por exemplo. Isso sem mencionar que módulos de limpeza de algumas suítes de manutenção varrer os atalhos salvos no Desktop, e nem sempre é fácil descobrir aonde eles foram parar.
Então, vamos combinar: atalhos para abrir aplicativos (criados automaticamente durante a instalação dos aplicativos) podem ser deletados sem remissão, já é possível acessar o programa clicando em Iniciar e vasculhando a lista Todos os Programas. Resguardadas as devidas proporções, o mesmo vale para os instaladores de freewares, que devem ser excluídos tão logo a instalação seja concluída – se uma nova instalação se fizer necessária, sempre se pode tornar a baixá-los do site de fabricante.
Supondo que você esteja escrevendo uma extensa monografia e editando-a sempre que sobra um tempinho, talvez se sinta tentado a salvá-la na área de trabalho, de modo a poder acessá-la com um simples clique do mouse. Por questões de segurança, todavia, o melhor é salvá-la na sua pasta pessoal ou na Biblioteca Documentos e de lá criar um atalho e enviá-lo para o Desktop. Dessa forma, o arquivo continuará sendo facilmente acessado, mas estará mais protegido de uma restauração problemática.

Observação: Melhor ainda seria particionar o HD e separar do SO os arquivos mais importantes e de difícil recuperação, mesmo por ocasião de uma eventual reinstalação do Windows.

Já se você for dado a soluções mais rebuscadas, saiba que também é possível aprimorar a proteção dos arquivos salvos no Desktop movendo este último para uma pasta protegida. Para tanto, abra o Windows Explorer, dê um clique direito em Documentos, selecione Propriedades, pressione o botão Incluir uma pasta e clique em Área de Trabalho.
Uma vez alterado o local de armazenamento para Documentos, a restauração de sistema deverá manter tudo o que foi salvo às pressas no seu Desktop.

Para concluir, aí está para quem quiser ver:

Postar um comentário