terça-feira, 27 de janeiro de 2015

INTERNET - ERROS COMUNS DE PORTUGUÊS

O PT ENTROU EM COMA QUANDO LULA FOI ELEITO PRESIDENTE, E A PARTIR DE ENTÃO FOI MORRENDO DIA APÓS DIA, NA MEDIDA EM QUE SUAS LIDERANÇAS DESISTIRAM DE CONSTRUIR O FUTURO E SE DEDICARAM A DESFRUTAR AS ATRAÇÕES DO PRESENTE. POBRE POVO BRASILEIRO.

"Última flor do Lácio, inculta e bela" é o verso de abertura de um soneto de Olavo Bilac, que se refere à língua portuguesa – a última das “filhas do latim” – como sendo inculta devido a tantos que a maltratam (falando e escrevendo errado).
É certo que emails, weblogs, websites, chats e redes sociais dispensam o português escorreito, formal a ponto de ser pernóstico, mas é igualmente certo que não podemos exigir que os outros adivinhem o que queremos dizer com o que digitamos, ou que façam vista grossa para erros crassos de ortografia e gramática, que causam uma péssima impressão.
A maioria dos processadores de textos e navegadores costuma incorporar corretores ortográfico-gramaticais que são uma mão na roda para evitar erros de digitação, concordância e outros deslizes simples, ainda que, por vezes, eles também tropecem no vernáculo. De qualquer forma, não custa relembrar algumas escorregadelas comuns, dentre diversas outras de arrepiar, podem ser vistas no Blog do meu amigo Lu Cidreira (abraços, meu rei!)

Agente – agente é quem age. Como sinônimo de “nós”, a expressão é escrita separadamente: a gente combinou de ir ao cinema, a gente vai almoçar. Note ainda que o verbo fica na terceira pessoa do singular (jamais diga ou escreva “a gente fomos”, “a gente viemos”, a gente “ficamos”.

Asterístico – o certo é “asterisco”. Na dúvida, substitua por “estrela”.

Bastante – quando há função adjetiva (ou seja, puder ser substituído por muitos/muitas) o certo é dizer/escrever bastantes. Exemplo: A festa contou com bastantes pessoas. Já como sinônimo de suficiente, o termo fica no singular, mas é precedido de “o”. Ex.: você já bebeu o bastante.

Concerteza – a despeito do que muitos imaginam, o termo em questão é composto por duas palavras e equivale a sem dúvida, é claro, é lógico.

Às vezes – assim, com acento grave, significa de vez em quando, esporadicamente.  

Excessão – talvez por influência da palavra “excesso”, muita gente esquece que a grafia correta é exceção.

Haver – escreva com “h” quando o sentido for existir, como em “há nuvens róseas sobre a colina”, ou “há dois anos”. Quando remete a fatos em comum, a grafia correta é a ver, como em nada a ver comigo, tudo a ver com a secretária, e daí por diante.

Menas – como advérbio de intensidade, a palavra menos é invariável, devendo, portanto, permanecer no masculino: ela é menos inteligente do que o irmão, pôs menos água no copo, etc.

Meia – como sinônimo de um pouco ou um tanto, a palavra fica no masculino: ela estava meio nervosa.  

Quiz – como conjugação do verbo querer (eu quis, ele quis), escreve-se com “s”. 

Por causa que, por causa de que – prefira dizer/escrever simplesmente porque. Ex.: tirou o casaco porque estava com calor.

Porisso – a grafia correta é “por isso”.

Mais com “i”, dá a ideia de adição; como conjunção adversativa, o correto é mas, como em “tinha chovido, mas o tempo continuava abafado”.

Quando eu ver... – no sentido de enxergar, o correto é dizer “quando eu vir”; no sentido de chegar, o correto é “quando eu vier”.

Grama – no feminino é sinônimo de capim. Como submúltiplo de quilograma, é palavra masculina, como em “duzentos gramas de presunto, trezentos gramas de queijo, etc.”. 
  
Meio-dia e meio – corresponde a um dia inteiro. Meio, no caso, é sinônimo de metade de uma hora, de modo que o correto é dizer/escrever meio dia e meia (hora).


Veja ainda alguns ditos populares que foram corrompidos com o passar do tempo:

Hoje é domingo pé de cachimbo – O correto é Hoje é domingo, pede cachimbo (domingo é um dia ideal para relaxar e fumar um cachimbo ao invés do tradicional cigarro (para aqueles que fumam, naturalmente).

Este menino não pára quieto, parece que tem bicho carpinteiro – O correto é: Parece que tem bichos no corpo inteiro.

Batatinha, quando nasce, esparrama pelo chão – O correto é: Batatinha, quando nasce, espalha a rama pelo chão.

Cor de burro quando foge – O correto é: Corra de burro quando foge (convém não ficar na frente do animal assustado).

Quem tem boca vai a Roma – O correto é: Quem tem boca vaia Roma (isso mesmo, do verbo vaiar).

Cuspido e escarrado (quando se quer dizer que alguém é muito parecido com outra pessoa) – O correto é: Esculpido em Carrara (carrara é um tipo de mármore) ou, segundo outras fontes, Esculpido e encarnado.


Quem não tem cão, caça com gato – O correto é: Quem não tem cão caça como gato (ou seja, sozinho).

Para concluir:

MAIS UMA VEZ SAMPA FICA SUBMERSA DEPOIS DE A TEMPERATURA ULTRAPASSAR A MARCA DOS 30ºC. E ENQUANTO OS TELEJORNAIS VOCACIONADOS A ALAVANCAR A AUDIÊNCIA EXIBINDO TODA SORTE DE CENAS DANTESCAS PINTAM COM CORES BERRANTES MAIS ESSE CATACLISMO, O PREFEITO HADDAD, OBCECADO POR CICLOVIAS (POR QUE ELE NÃO SE MUDA PARA A HOLANDA?), PEDALA SOLITÁRIO PELAS ESTÚPIDAS FAIXAS VERMELHAS COM QUE DECOROU BOA PARTE DAS RUAS E AVENIDAS DA CIDADE.
NOSSO GOVERNADOR (PICOLÉ DE CHUCHU) PARECE TER DERRETIDO E ESCOADO PELO RALO. QUANDO DÁ O AR DA GRAÇA, AFIRMA QUE NÃO HÁ E NEM HAVERÁ RACIONAMENTO DE ÁGUA, MAS SIM UMA REDUÇÃO DO ABASTECIMENTO (?!). PARECE TER SIDO CONTAMINADO PELA TRADICIONAL INCOERÊNCIA DA PRESIDENTE, QUE, POR SINAL, NOMEOU OS INTEGRANTES DAQUELE QUE TEM TUDO PARA SER O PIOR MINISTÉRIO DE TODOS OS TEMPOS.
PARA PIORAR, COMO BEM APONTA J. R. GUZZO EM SUA COLUNA NA REVISTA VEJA DESTA SEMANA, "NO MOMENTO EM QUE O BRASIL MAIS PRECISA DE HARMONIA COM O MUNDO DESENVOLVIDO PARA ALIVIAR AS MISÉRIAS CRIADAS POR QUATRO ANOS SEGUIDOS DE DECISÕES ECONÔMICAS ERRADAS, A PRESIDENTE RESOLVE IR À BOLÍVIA PRESTAR HOMENAGEM AO CHEFE COCLLERO QUE INUNDA O BRASIL COM DROGAS PESADAS, TOMOU PROPRIEDADES DA PETROBRÁS SEM PAGAR UM CENTAVO DE INDENIZAÇÃO E TRANSFORMOU SEU PAÍS NUM PARAÍSO PARA A RECEPTAÇÃO DE CARROS ROUBADOS NO NOSSO. JUNTO COM TUDO ISSO, COMO SE COMPROVOU NA SEMANA PASSADA COM A QUEDA DE ENERGIA ELÉTRICA EM PELO MENOS DEZ ESTADOS, O GOVERNO DEIXA CLARO O QUE VEM ESCONDENDO HÁ ANOS: A POPULAÇÃO BRASILEIRA ESTÁ SOB AMEAÇA REAL DE UM COLAPSO NA OFERTA DE ELETRICIDADE
ENTREMENTES, O MINISTRO DAS MINAS E ENERGIA JURA QUE NÃO FALTARÁ LUZ EM 2015. ELE SABE QUE OS RESERVATÓRIOS ESTÃO SECOS E QUE NUNCA SE CONSUMIU TANTO QUANTO AGORA, POR CAUSA DO CALOR. NENHUM DISCURSO VAI MUDAR O FATO DE A CRISE ESTÁ AÍ, E A CULPA DISSO É DE UM GOVERNO QUE TEVE DOZE ANOS PARA INTEIROS PARA FAZER ALGUMA COISA A RESPEITO, MAS NÃO FEZ NADA. O MINISTRO AGORA NOS CONVIDA A "CONTAR COM DEUS" PARA RESOLVER A PARADA; NEM ELE ACREDITA MAIS EM DILMA. É MUITA PRETENSÃO. DEUS DIFICILMENTE TERÁ TEMPO, OU INTERESSE, PARA RESOLVER PROBLEMAS QUE NÃO CRIOU.
O RESUMO DA ÓPERA É RUIM: SE EM POUCOS DIAS DO SEU NOVO MANDATO DILMA CONSEGUIU APRONTAR TUDO ISSO, QUE DESASTRES VÃO CAIR ATÉ 2018 SOBRE ESTA TERRA E ESTA GENTE?" 

A despeito de tudo isso, desejo a todos um ótimo dia.
Postar um comentário