sexta-feira, 18 de setembro de 2015

O GOOGLE CHROME ESTÁ LENTO OU INSTÁVEL? VOCÊ NÃO ESTÁ CONSEGUINDO DESINSTALAR UM APLICATIVO? VEJA AQUI O QUE FAZER.


EXISTEM TRÊS COISAS QUE NÃO PODEM SER ESCONDIDAS POR MUITO TEMPO: O SOL, A LUA E A VERDADE.

A dica a seguir se propõe a mostrar como solucionar problemas com o Google Chrome, que, embora seja um excelente navegador de Internet, tem o "mau hábito" de passar a consumir muita memória e/ou se tornar lento e instável sem qualquer razão aparente. (O Google afiram que o problema foi solucionado na versão mais recente do browser, mas como na prática a teoria costuma ser outra, não custa saber como proceder, se necessário).

Observação: Depois de vencer a assim chamada "Guerra dos Browsers", o festejado MS Internet Explorer criou fama e deitou na cama, como se costuma dizer, até que, por uma série de fatores que agora não vem ao caso detalhar, acabou sendo superado pelo Chrome e não pelo Mozilla Firefox, que seu principal concorrente (veja mais detalhes nesta postagem), que assumiu a dianteira em maio de 2012 e então só fez crescer na preferência dos internautas.

Via de regra, a melhor maneira de você domar um aplicativo mal-comportado consiste em remover e reinstalar o dito-cujo, embora seja recomendável, antes, fechar e abrir o programa e, se não resolver, reiniciar o computador. Se nem assim você obtiver o resultado desejado, aí, sim, deve partir para o "tratamento de choque". No entanto, não custa esgotar as opções menos drásticas, que, no caso específico do Chrome, são as seguintes:

Primeiramente, habilite a extensão gratuita THE GREAT SUSPENDER, que monitora em tempo real as abas abertas e coloca em animação suspensa as que estão ativas. Para tanto, pressione o botão que exibe três traços horizontais, na extremidade direita da barra de endereços, clique em Mais ferramentas > Extensões > Obter mais extensões e pesquise por great suspender. Quando localizar a extensão, clique sobre ela e em Usar no Chrome. Concluída a instalação (que demora poucos segundos), reinicie o navegador e clique no novo ícone que irá surgir à esquerda da barra de endereços (oriente-se pela figura que capeia esta postagem). No menu suspenso, selecione configurações e ajuste o tempo de inatividade da página que, por padrão, é de 1 hora, mas você pode alterar para o mínimo de 20 segundos o máximo de 3 dias (sugiro algo entre 30 segundos e 1 minuto).

Caso seu browser continue a apresentar problemas, torne a pressionar o botão de configuração (aquele dos três traços), selecione a opção Configurações, role a tela até o final e clique em Mostrar configurações avançadas. Desça então a barra de rolagem até o último item, logo após a seção Sistema, clique em Redefinir configurações do navegador e confirme quando solicitado. Isso irá limpar todos os dados armazenados, desativar as extensões e redefinir as páginas e abas iniciais com as configurações-padrão. Se o browser voltar a funcionar direitinho, você poderá acionar novamente os apps através da aba de extensões.

Se realmente for necessário desinstalar o navegador, encerre-o, abra o Gerenciador de Tarefas do Windows (basta dar um clique direito num ponto vazio da barra de tarefas e selecionar Iniciar Gerenciador de Tarefas), clique na aba processos e vasculhe a lista em busca de alguma entrada identificada como chrome.exe. Se encontrá-la, dê um clique direito sobre ela e, no menu suspenso, selecione Finalizar Arvore de Processos e confirme quando solicitado. Proceda então à remoção do aplicativo através do desinstalador nativo do Windows ou de ferramentas como o Revo Uninstaller ou o IObit Uninstaller, que, como dito em outras oportunidades, fazem um serviço mais completo.

Por último, mas nem por isso menos importante, se você tiver problemas para desinstalar um aplicativo (seja o Chrome, seja outro programa qualquer), experimente proceder à remoção depois de reiniciar o computador no modo de segurança (para saber o que é, como acessar e como instalar/remover programas no modo de segurança, leia a dupla de postagens iniciada por esta aqui).

Passemos agora ao nosso tradicional humor de sexta-feira, mas com um enfoque um pouco diferente do habitual:

Primeiro dia de aula, o professor de 'Introdução ao Direito' entra na sala e pergunta o nome de um aluno sentado na primeira fila.

- Chamo-me Nelson, senhor – responde o estudante.

- Saia de minha aula e não volte nunca mais! – grita então o professor.

Nelson se levantou rapidamente, recolheu suas coisas e saiu da sala. Os demais alunos se assustaram, mas nenhum deles se manifestou.

- Agora, sim, vamos começar! – retoma o professor. - Para que servem as leis?

- Para que haja uma ordem em nossa sociedade – responde alguém, timidamente.

- Não! - contesta o professor.

- Para cumpri-las.

- Não!

- Para que as pessoas erradas paguem por seus atos.

- Não! Será que ninguém sabe responder essa pergunta?

- Para que haja justiça - diz uma garota, com a voz quase inaudível.

- Até que enfim! É isso, para que haja justiça. E agora, para que serve a justiça?

Ainda que incomodados com a postura do mestre, alguns responderam:

- Para salvaguardar os direitos humanos; para diferenciar o certo do errado; para premiar a quem faz o bem...

- Ok, não está mal, porém respondam a esta pergunta: eu agi corretamente ao expulsar Nelson da sala de aula?"

Podia-se ouvir uma mosca, se uma mosca ousasse quebrar o silêncio.

- Quero uma resposta decidida e unânime!

- Não! - responderam todos, a uma só voz.

- Quer dizer que eu cometi uma injustiça?

- Sim!

- E por que ninguém fez nada a respeito? Para que queremos leis e regras se não dispomos da vontade necessária para praticá-las? Cada um de vocês tem a obrigação de protestar quando presenciar uma injustiça. Todos. Não voltem a ficar calados, nunca mais! Vou buscar o Nelson - disse. Afinal, ele é o professor, eu sou apenas um aluno de outra turma.

Bom final de semana a todos e até a próxima, se Deus quiser.
Postar um comentário