terça-feira, 8 de setembro de 2015

SMARTPHONES ─ NÃO DÊ MOLEZA (continuação)

A DOR É INEVITÁVEL, MAS O SOFRIMENTO É OPCIONAL.

Gastar quase R$5 mil num iPhone 6 Plus e não ter o gostinho de deixar a galera verde de inveja pode ser frustrante, mas expor o aparelho em locais apinhados de pessoas estranhas é o caminho mais curto para perdê-lo. Aliás, é recomendável mente-lo sempre na capinha, pois ela ajuda a disfarçar as características (convém tomar muito cuidado, já que a bandidagem de plantão tem olho clínico). Demais disso, pense duas vezes antes de atender uma ligação (ou, pior ainda, responder uma mensagem de texto) em meio a aglomerações, e resista à tentação de sacar o brinquedinho se alguém lhe perguntar as horas, principalmente à noite e especialmente em locais pouco movimentados. Adicionalmente:

Mesmo que seu gadget não ofereça um scanner de impressão digital, é possível prevenir acessos não autorizados configurando uma senha deslizante ou um código PIN (consulte o manual do usuário para saber quais as proteções disponíveis e como ativá-las).

Ao preencher a agenda de contatos, prefira identificar seus pais, filhos ou cônjuge pelos respectivos pré-nomes ou por apelidos que façam sentido para você (entradas como "mãe", "amorzão", "filhão" e assemelhadas são sopa no mel para golpistas de plantão).

Procure saber como fazer para localizar ou bloquear remotamente o aparelho em caso de extravio. O iOS conta com o Buscar Meu iPhone, que pode ser ativado através da página do iCloud em Configurações. Feito isso, basta acessar o site através do seu PC para localizar o aparelho, bloqueá-lo, ou mesmo deletar seus dados sigilosos. Já se você usa o sistema do Google, o Gerenciador de Dispositivo Android faz o mesmo efeito; para configurá-lo, acesse o aplicativo de Configurações do Google e toque em Gerenciador de Dispositivo Android. No Windows Phone, a ferramenta Localizar Meu Telefone funciona basicamente da mesma maneira, e a configuração é feita automaticamente quando você acessa o aparelho usando sua conta Microsoft.

Procure criar backups atualizados dos contatos e de arquivos e dados de difícil recuperação ou manter o aparelho sincronizado com serviços na nuvem que automatizem esse processo (algumas operadoras disponibilizam esse serviço; consulte a sua).

Observação: No Android, selecione Configurações e ative o recurso em Cópia de Segurança e Restauração. No iOS, as opções de backup ficam na seção Armazenamento e Backup, nas configurações da página do iCloud.

Se possível, deixe a memória interna do aparelho para os aplicativos e configure o armazenamento de fotos, mensagens e outros dados "sigilosos" no SIM Card ou no SD Card isso não ajuda em nada em caso de extravio do telefone, mas evita a ação dos abelhudos de plantão se e quando você passá-lo adiante.   

Criptografar os dados adiciona um nível extra de segurança, embora torne algumas operações mais lentas. No iPhone, isso é feito automaticamente quando você configura um código para o dispositivo; no Android, a opção respectiva fica sob Configurações > Segurança (note que será preciso definir uma senha de, no mínimo, seis caracteres, que irá funcionar como código de desbloqueio de tela).

Considere a possibilidade de contratar um seguro e como as apólices convencionais não costumam cobrir danos decorrentes de quedas, imersões acidentais em água e outros acidentes que tais, não deixe de ler esta postagem.

Amanhã a gente conclui; abraços e até lá.

EM TEMPO: SEGUE UMA MODESTA HOMENAGEM À NOSSA DATA NACIONAL, AINDA QUE ATRASADA:

video


Postar um comentário