quinta-feira, 1 de outubro de 2015

SAIBA COMO PROTEGER SEU PENDRIVE DE MALWARES.


A VIRTUDE A QUE CHAMAMOS DE BOA VONTADE ENTRE OS HOMENS É APENAS A VIRTUDE DOS PORCOS NA POCILGA, QUE DORMEM JUNTINHOS PARA SE AQUECER.

Popularidade atrai o olho-grande dos amigos do alheio, como bem sabem (ou deveriam saber) os usuários do Apple iPhone, por exemplo. No caso do Windows, estar há décadas no topo da lista dos sistemas mais utilizados mundialmente faz de seus usuários o alvo preferido de pragas digitais (vírus, worms, trojans, spywares etc.), crackers e assemelhados. Aliás, o desinteresse dos cibercriminosos pelos programas concorrentes é tamanho, que a “turma da maçã” e os “linuxistas” consideram antivírus e demais aplicativos de segurança como algo de importância menor, mas isso já é outra história e fica para outra vez.

Passando ao que interessa, à medida que foram caindo de preço e crescendo em popularidade, os pendrives também passaram despertar o interesse da bandidagem de plantão. Não a ponto de serem valorizados pelos “mãos-leves”, até porque, com exceção de modelos com capacidade igual ou superior a 128GB, esses dispositivos são relativamente baratos, mas, em certos casos, a coisa muda de figura diante da importância dos arquivos que eles contêm e pela facilidade com que podem disseminar códigos maliciosos pelos computadores em que são conectados.

Felizmente, já existem antivírus especialmente projetados para proteger pendrives contra malwares, e seu uso é fundamental para quem costuma espetar o chaveirinho de memória em PCs da faculdade, de bibliotecas, lanhouses, cybercafés, ou mesmo do trabalho (afinal, nunca se sabe). Uma boa opção gratuita é o Panda USB and AutoRun Vaccine, que imuniza tanto o computador quanto o dispositivo portátil. Depois de baixar e instalar e configurar o programinha (habilitar a inicialização junto com o sistema, definir a vacinação automática dos novos dispositivos conforme eles forem plugados, ativar proteção de drives formatados com o sistema de arquivos NTFS, etc.), você verá uma tela com dois botões: o primeiro vacina o PC e o segundo, o pendrive ou outro dispositivo USB, como um HD externo, p.ex. Simples assim.

Observação: A rigor, o que o programinha faz é impedir a proliferação de pragas digitais inibindo o autorun.inf, ou seja, se você plugar seu pendrive numa máquina infectada e depois conectá-lo ao seu computador, os códigos maliciosos que tenham eventualmente contaminado o dispositivo não serão capazes de se auto-executar.

Outra sugestão digna de nota é o ClevX DriveSecurity, da conceituada desenvolvedora de programas de segurança ESET (fabricante do festejado NOD32), que atua a partir do próprio pendrive ou HD USB. Basta você fazer o download, transferir os arquivos de instalação para o dispositivo externo (que já deve estar plugado na portinha USB), comandar a instalação e seguir as instruções. Concluído o processo, execute o programinha, abra o menu de configuração (no canto superior direito da janela), altere o idioma para Português (Portuguese) e clique na lupa para dar início à varredura. Note que, se você quiser continuar usando o app após o período de avaliação gratuita (30 dias), será preciso registrá-lo (a licença definitiva custa R$14,99).

Suítes de segurança populares como AVAST, AVG, NORTON e assemelhadas também costumam checar pendrives, bastando para isso que você abra a pasta Computador, dê um clique direito sobre o ícone correspondente ao dispositivo e selecione a opção respectiva no menu de contexto (oriente-se pela figura que ilustra esta postagem). Caso seu programa residente não dê conta do recado, uma varredura online pode resolver (experimente o HouseCall, o ActiveScan, o Kaspersky, o F-Secure, o BitDefender ou o Microsoft Safety Scanner, dentre tantos outros).

Observação: Em situações extremas, formatar o dispositivo de memória pode ser a solução, mas tenha em mente que esse procedimento irá apagar todo o seu conteúdo. Para isso, plugue o dispositivo na interface USB, localize o ícone que o representa na pasta Computador, dê um clique direito sobre ele e selecione a opção Formatar. Na tela seguinte, defina o sistema de arquivos, digite o nome desejado, desmarque a opção Formatação rápida e clique em Iniciar (assim, além da remoção dos dados, será feita também uma verificação em busca de setores inválidos).

Abraços a todos e até a próxima.
Postar um comentário