segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Modernizar é preciso...

No tempo em que os computadores custavam “os olhos da cara”, muitos de nós éramos obrigados a prorrogar “ad eternum” a vida útil de máquinas obsoletas, totalmente divorciadas das exigências dos sistemas e programas mais recentes. Hoje, com a redução do preço e as facilidades de pagamento, basta economizar o equivalente a um jantar por mês na pizzaria para substituir um PC “movido à corda” por um modelo atual, novinho em folha.

Observação: Uma máquina “de grife” não é a única opção para quem precisa modernizar seu equipamento; em alguns casos, um upgrade de hardware ou uma integração feita (ou encomendada) pelo próprio usuário podem ser soluções igualmente interessantes, como veremos oportunamente.

Computadores comprados prontos costumam vir com sistema operacional pré-instalado, mas não basta retirá-los da embalagem e conectar os cabos; é preciso revisar algumas configurações, resgatar arquivos pessoais, instalar programas adicionais e – ainda que pareça um contra-senso – livrar-se dos “inutilitários” que o acompanham (e que variam conforme a marca e o modelo do produto).
Tecnicamente, tudo que não faz parte do Windows pode ser descartado para evitar desperdício de espaço no disco e/ou consumo desnecessário de recursos do sistema, mas é bom você fazer uma análise criteriosa antes de sair apagando programas a torto e a direito: softwares desconhecidos ou inúteis podem ser removidos de plano, da mesma forma que aplicativos redundantes (não faz sentido manter uma suíte gratuita de aplicativos de escritório, por exemplo, quando se tenciona usar o MS Office), mas o antivírus fornecido com o computador – se houver – deve ser habilitado e mantido operante até que seja instalada uma nova ferramenta de proteção.

Observação: Vale lembrar que a remoção de programas deve ser feita preferencialmente pelo desinstalador do próprio aplicativo, caso exista, ou via Iniciar > Painel de Controle > Adicionar ou remover programas (mais detalhes na postagem de 28 de julho passado).

Concluída a “limpeza”, rode o Windows Update e aplique todas as correções críticas disponíveis para o sistema e seus componentes. Em seguida, instale (e atualize) o arsenal de segurança e demais aplicativos (suíte de escritório, editor de imagem e vídeo, player de música, ferramentas de manutenção, etc.) e transfira seus arquivos pessoais da máquina antiga para a nova – através de uma rede local ou com o auxílio um de um drive externo. Ao final, execute o CCleaner ou o Advanced System Care (já abordados em outras postagens) para começar “vida nova” com um sistema limpo e saudável.
Amanhã a gente continua.
Abraços e até lá.
Postar um comentário