sexta-feira, 14 de maio de 2010

Utilidade pública e humor de sexta-feira

Quando a insegurança campeia solta, é preciso pôr as barbas de molho. Quem utiliza computadores de lan-houses, cybercafés e assemelhados deve redobrar os cuidados ao digitar senhas e informações confidenciais. Um tipo de pendrive cujo formato lembra convenientemente um inocente adaptador (veja a ilustração desta postagem) pode ser instalado entre o cabo do teclado e o respectivo conector, na parte traseira do gabinete, e assim gravar tudo que os usuários digitam quando operam a máquina.
Olho vivo!

Passando do mundo virtual para o real, é possível reduzir as chances de se dar mal em um assalto a ônibus (prática cada vez mais comum nas grandes metrópoles) tomando alguns cuidados elementares. Para o ladrão, assaltar um ônibus é quase tão tranqüilo quanto pegar um ônibus. A ação é rápida (entre dois pontos), lucrativa (celulares, MP3 players, relógios e cordões, por exemplo, são objetos fáceis de vender) e de baixo risco (a maioria desses crimes não resulta num boletim policial de ocorrência). Então, o negócio é você só passar pela catraca quando realmente for descer: na frente, onde ficam os idosos não-pagantes (que geralmente não carregam o que os bandidos querem), a proximidade do motorista e do cobrador inibe a ação dos larápios (que procuram evitar um possível reconhecimento futuro). Além disso, o alcance das câmeras de vigilância (caso existam) não costuma ir além da catraca, de modo que a bandidagem prefere atacar no fundão, onde as chances de serem filmados são bem menores. Fingir estar dormindo também ajuda (o ladrão, que não quer escândalo, evita abordar os dorminhocos que, com o susto, podem surtar).

Passemos agora à nossa tradicional piadinha:

Um funcionário diz para a colega loira:
- Conheço uma maneira de conseguir uns dias de folga.
Assim que vê o chefe se aproximando da sala, ele sobe por uma viga e se pendura de ponta-cabeça no teto.
- Que diabo você está fazendo aí? - pergunta o chefe.
- Sou uma lâmpada.
- Sei... Olha, acho melhor você tirar uns dias de folga.
O espertinho desce pela viga, pega suas coisas e caminha em direção à porta. A loira pega sua bolsa e se prepara para acompanhá-lo.
- Onde você pensa que vai? – pergunta o chefe.
- Vou pra casa! Não consigo trabalhar no escuro!

Bom final de semana a todos.
Postar um comentário