terça-feira, 31 de maio de 2011

10 dicas de impressão

Depois de falar um bocado sobre impressão, modelos de impressoras e outros que tais, resolvi dar uma trégua aos leitores (e, por que não dizer, a mim também) antes de voltar com mais algumas considerações e sugestões. Confira:

1.      Impressoras modernas (tanto a Laser quanto a Jato de Tinta) se comunicam com o computador via USB, de modo que basta você plugar o cabinho em ambos os aparelhos, conectar o cabo de força na tomada, pressionar a tecla “Power” e aguardar até que o Windows reconheça o novo hardware. A instalação dos cartuchos é um procedimento simples, mas que varia conforme a marca e o modelo; convém consultar o manual do usuário. Conforme a versão do sistema, pode ser preciso inserir o CD (que vem com a impressora) na gavetinha e seguir as instruções do instalador; ao final do processo, a máquina costuma gerar uma página de teste – mas você pode obter o mesmo resultado (e resolver outros problemas) abrindo o Painel de Controle e dando duplo clique no miniaplicativo “Impressoras e Aparelhos de Fax”. Aliás, convém você visitar o website do fabricante para ver se existem drivers mais recentes; em sendo o caso, faça o download, salve-os na Área de Trabalho, abra o Gerenciador de Dispositivos – no XP, dê um clique direito em Meu Computador, clique em Propriedades, na aba Hardware e no botão correspondente – e proceda à respectiva atualização.
     
2.      Ao imprimir documentos, em vez de clicar simplesmente no botão que aparece na barra de ferramentas, prefira o comando Imprimir do menu Arquivo, que oferece um vasto leque de opções de configuração (intervalos de páginas, layout, tamanho da página, impressão “frente e verso”, preto e branco, modo rascunho, e por aí vai).

3.      Impressões falhadas ou desalinhadas podem ser corrigidas mediante a limpeza e o alinhamento dos cabeçotes; clique no menu Iniciar > Impressoras e aparelhos de fax, dê um clique direito sobre o ícone que representa sua impressora e escolha Propriedades (as opções podem variar conforme a marca e o modelo do aparelho; portanto, consulte o manual de impressão).

4.      Ao adquirir cartuchos (originais ou compatíveis), atente para a data de validade e evite comprar dois ou mais jogos de uma só vez (para aproveitar um preço promocional, por exemplo), a menos que tenha certeza de que irá utilizá-los dentro do prazo. Aliás, se você imprime muito pouco, o risco de seus cartuchos ressecarem é grande, de modo que convém não se entusiasmar demais como produtos que prometem o dobro ou o triplo da quantidade de tinta que vem nos originais.

5.      Imprimir páginas da Web pode gerar um volume imenso de lixo e um consumo exagerado de tinta, a menos que você utilize algum recurso de economia. Muitos sites e portais possuem em seus artigos um botão Imprimir que, ao ser clicado, removem banners, formatações abusivas e outros que tais, deixando apenas o texto. Use sempre.

6.      Sem embargo da sugestão anterior, você pode economizar tinta copiando o conteúdo da página, colando-o num documento de texto (*.TXT), fazendo os ajustes necessários e comandando a impressão a partir daí. Vale também utilizar serviços como os disponibilizados pelos sites http://www.printwhatyoulike.com/ e http://www.printfriendly.com/ , que permitem selecionar apenas as áreas úteis das páginas, suprimir imagens, excluir parágrafos, e até salvar o arquivo no formato PDF (para ler num e-Reader, por exemplo).

7.      Se sua impressora não funciona, verifique se os cabos estão devidamente conectados e se há energia na tomada (ou no estabilizador de tensão, filtro de linha ou outro dispositivo de proteção). Se o ícone correspondente aparecer em cinza, é sinal de que a máquina está desligada ou sem comunicação com o computador. Atente também para as luzinhas indicadoras, no painel da impressora: a cor verde indica funcionamento normal, mas luzes vermelhas, amarelas ou alaranjadas (dependendo da marca e do modelo) exigem a atenção do usuário; consulte o manual para identificar a causa do problema.

8.     Abasteça sua máquina somente com papéis apropriados e não exceda a quantidade estabelecida pelo fabricante. Assegure-se de que as folhas não estejam úmidas ou grudadas umas nas outras (convém sempre “ventilá-las” antes de alimentar a bandeja) e verifique se os delimitadores – guias deslizantes que auxiliam a introdução do papel – estão devidamente ajustados para a largura do papel utilizado; eles não devem ficar nem frouxos nem apertados demais.

9.      Se a impressora deixar de “puxar” o papel, limpe as borrachas do rolo tracionador; se ela começar a puxar várias folhas, verifique se o papel é adequado, se foi devidamente “ventilado” e se o tamanho é compatível com o formato do documento. Caso o atolamento ocorra, a solução varia conforme a marca e o modelo (consulte o manual), mas você pode tentar desligar e religar o aparelho (com um pouco de sorte, isso fará com as folhas encravadas sejam expelidas). Se não funcionar, puxe as folhas firme, mas gentilmente (sempre no sentido da entrada para a saída); se não conseguir removê-las todas de uma vez, tente retirar uma a uma, de modo a reduzir progressivamente a pressão do rolo sobre o papel. Algumas impressoras têm portinholas (geralmente na parte traseira) destinadas a facilitar a remoção do papel atolado; outras permitem diminuir a pressão do rolo, para que as folhas possam ser retiradas mais facilmente. Seja como for, jamais recorra a ferramentas ou quaisquer objetos que possam danificar os componentes do aparelho. Se nada disso resolver, contate o suporte do fabricante ou procure uma assistência técnica especializada.

10.  Impressões borradas ou manchadas podem advir de cartuchos de má qualidade, da mesma forma que o derramamento de tinta. Se a substituição dos cartuchos não resolver esses problemas, consulte o suporte do fabricante ou um técnico de sua confiança. Note ainda que determinados tipos de papel (notadamente os destinados à impressão de fotos) possuem apenas uma face imprimível; se você colocá-los “do avesso”, o borrão estará garantido.

Era isso, pessoal.
Abraços e até mais ler. 
Postar um comentário