quarta-feira, 25 de maio de 2011

Imprimir é preciso... (parte 3)

Complementando o que vimos nos posts anteriores, vale lembrar que, se suprimentos para impressoras a Laser custam mais caro que os cartuchos das Ink Jet, eles também costumam render mais (em número de páginas impressas). Falando em rendimento, existe uma maneira relativamente simples de estimar o custo da impressão (que varia conforme a tecnologia, a marca e o modelo do aparelho). Depois de selecionar o modelo de seu interesse, acesse o site do fabricante e procure informações tipo “impressão de páginas por cartucho”, descubra o preço do refil (em lojas virtuais ou físicas, tanto faz) e faça as contas: se o suprimento custa R$ 80 e rende mil páginas, por exemplo, cada folha impressa sai por R$ 0,08 (desconsidere o preço do papel, já que ele será o mesmo, inobstante a marca e o modelo da impressora).


Observação: Impressoras a jato de tinta podem usar papel comum, mas para obter qualidade fotográfica, é preciso usar papéis e tintas especiais, que custam bem mais caro.


Alguns equipamentos utilizam quatro cartuchos independentes (ou seis, no caso de impressoras fotográficas); outros, dois cartuchos (o preto e o “colorido) e outros, ainda, um único cartucho.
A primeira opção é mais vantajosa do ponto de vista do custo/benefício, além de propiciar maior velocidade de impressão. Na segunda, a grande desvantagem é que, sempre que uma tinta acabar, você terá de substituir o cartucho, desperdiçando o que ainda restar das outras cores. Já nos modelos com um único cartucho, até a cor preta (um cinza-chumbo, na verdade) é gerada a partir da mistura das cores “básicas” (ciano, magenta e amarela), e a economia obtida na compra do aparelho (que geralmente custa mais barato) se dilui rapidamente nas freqüentes substituições do cartucho (veja mais detalhes em http://fernandomelis.blogspot.com/2009/11/de-olho-no-cartucho.html).
Mesmo considerando que os refis originais tenham caído de preço nos últimos anos (embora continuem caros, é bom que se diga), existe larga oferta de produtos “compatíveis” para a maioria das marcas e modelos de impressoras e multifuncionais, sem mencionar os postos de recarga, onde você reenche seus cartuchos ou troca por produtos remanufaturados.
Os cartuchos compatíveis são novos, lacrados, e geralmente custam menos que os originais, mas como não são produzidos pelos fabricantes das impressoras, convém só adquirir produtos de marcas conhecidas e bem conceituadas. Já os remanufaturados saem ainda mais em conta, e se a recarga for bem feita e utilizar matéria prima de qualidade, apresentam resultados são satisfatórios – embora para algumas aplicações, como a impressão fotográfica, por exemplo, possam ficar aquém do desejado.
Vale lembrar também que o desgaste natural dos cartuchos costuma resultar em problemas como impressão borrada e derramamento de tinta, de maneira que é bom tomar cuidado com as “bocas de porco”.
Amanhã a gente conclui; abraços e até lá.
Postar um comentário