quarta-feira, 5 de setembro de 2012

HOAX (BOATO), LULA e distinta companhia

Quem acompanha meu Blog sabe que o tema principal é a Tecnologia da Informação, embora eventualmente eu mude o foco para política, religião, culinária ou outro assunto cuja relevância justifique a abordagem. E o post de hoje é um bom exemplo, pois remete a um hoax segundo o qual a revista FORBES inclui o ex-presidente Lula no rol dos homens mais ricos do mundo.
Recebi o email apócrifo há alguns dias, e me arrependo de tê-lo repassado sem antes confirmar a veracidade das informações. Quem me conhece sabe que não gosto de política nem morro de amores por Lula, Dirceu, Genoíno e Cia – aliás, acho que o PT cagou nos eleitores, limpou o rabo com o manto da moralidade (que ostentava enquanto oposição) e, em vez da gestão ilibada que vinha prometendo à plebe ignara, produziu uma miríade de maracutaias que fizeram o esquema Collor-PC parecer coisa de punguista de feira.

Observação:  Maluf toca piano e, segundo seus detratores, quando ele levanta o rabo da banqueta, a única música que pode ser executada é o “SAMBA DE UMA NOTA SÓ”. Outros maledicentes dizem que Lula é “o desempregado que deu certo”, e que só não roubou mais por ter apenas nove dedos, mas isso são frases de efeito criadas espirituosamente por um povo que tem a virtude (?!) de fazer piada com a própria desgraça. Agora falando sério, Maluf é deputado federal e tem trânsito livre no Congresso, embora não possa deixar o país (se tentar, será preso e acusado de desvio de dinheiro público). Lula, por sua vez, respaldado na popularidade que lhe outorgam milhões de “sem-noção” desta nação, busca desesperadamente desacreditar o maior escândalo de corrupção da nossa história, de modo a limpar sua biografia e salvar os “companheiros” processados – ou, pelo menos, procrastinar o julgamento para garantir a prescrição dos crimes. Felizmente o STF vem resistindo à pressão – e já condenou cinco dos 37 réus. Pena que com a aposentadoria compulsória do ministro Cezar Peluzo, na última segunda feira, os demais itens do processo serão julgados apenas pelos restantes 10 ministros. 

Seja como for, não se pode condenar quem quer que seja com base no “ouvir dizer”; é preciso apurar os fatos e tomar muito cuidado com as meias-verdades. No entanto, nem seria necessário criar falácias para denegrir a administração lulopetista, até porque os fatos falam por si – fatos esses, aliás, divulgados na seção de política dos principais portais da Web e publicados em revistas do quilate da VEJA e da ISTOÉ, que se não estão acima de qualquer suspeita, tampouco são o blog do Zé ninguém ou um site de fofocas qualquer. Confira alguns exemplos:

·        Embora o nome de Lula não apareça na lista dos 36 bilionários brasileiros da Forbes (nem deste ano, nem de qualquer outro), seu patrimônio quase dobrou ao longo do primeiro mandato (isso considerando os valores declarados ao TSE) – evolução que o PT atribuiu à soma do salário de presidente com os proventos a aposentadoria e rendimentos de diversas aplicações financeiras.
·        Antes de ser eleito e empossado, o ex-presidente morava numa casa emprestada pelo compadre Roberto Teixeira e tinha suas despesas pagas pelo amigo Paulo Okamoto – que, mais adiante, se tronariam o pivô do escândalo da venda da VARIG (um dos maiores estelionatos avalizados pelo governo brasileiro) e o presidente do SEBRAE, respectivamente. Quando deixou o governo, levou consigo 17 caminhões carregados com objetos cuja propriedade ninguém ousou questionar.
·        Talvez Lulinha (apelido que o filho Fábio Luiz detesta) não tenha gasto R$ 47 milhões na compra da Fazenda Fortaleza, no interior de São Paulo, nem seja dono de latifúndios no Pará. Mas sua ascensão é no mínimo curiosa, já que, em 2003, deixou o emprego no ZOO de São Paulo (que lhe rendia o minguado salário de R$ 600) para se tornar sócio da produtora Gamecorp – que, com um capital de apenas R$ 100 mil, conseguiu vender parte de suas ações à TELEMAR por R$ 5,2 milhões. Como Lulinha também se havia associado ao lobista Alexandre Paes dos Santos (conhecido como APS, homem de relações perigosas e com extensa ficha criminal), ficou nítida a impressão de que os milhões investidos pela Telemar tinham como principal objetivo comprar o acesso que o filho do presidente tinha a altas figuras da República (para mais detalhes, acesse http://veja.abril.com.br/251006/p_060.html).

Para concluir, vale relembrar, que você pode (e deve) checar boatos e mensagens alarmistas que tais em sites como o do E-FARSAS, da MCAFEE, da SYMANTEC, da DATAFELLOWS e da HOAXBUSTERS, evitando disseminar “mentiras” e ficar mal-visto por quem se trumbicar ao confiar nos emails que você repassa.
No mais, as eleições estão aí. Pense bem antes de votar.

Observação: Tanto a foto à esquerda do primeiro parágrafo quanto a imagem à direita, que exibe o ex-presidente lendo o livro de ponta-cabeça, são apenas montagens.

Abraços a todos e até amanhã.
Postar um comentário