quarta-feira, 31 de outubro de 2012

PC - MÁQUINA PRONTA OU MONTAGEM? (final)


Máquinas de grife vêm “prontas para uso”, embora fique por conta do usuário a atualização do sistema (*) e a remoção do crapware. Na integração personalizada, antes dessas providências, você terá que instalar o Windows “a partir do zero”, fazer o CMOS SETUP, instalar os drivers de chipset e de dispositivos (**) e, em alguns casos, atualizar também o BIOS da placa-mãe e o firmware de componentes como o SSDdrive ópticoplaca gráfica, e por aí vai.
Concluídas essas etapas, o sistema estará funcional e pronto para ser personalizado. Aliás, o Windows vem se tornando mais “personalizável” a cada nova versão, embora os ajustes disponibilizados por sua interface padrão representem apenas “a parte visível do iceberg” – a porção oculta, muito maior, está embuçada nas entranhas do Registro, e como a edição manual desse importante banco de dados pode facilmente comprometer a estabilidade do computador ou mesmo impedir sua inicialização, convém dispor de uma boa  ferramenta de tweak para fazer o trabalho pesado de forma mais rápida e segura.

(*) É imprescindível manter o Windows e os demais aplicativos atualizados (para saber mais, clique aqui e leia a sequência de postagens que eu publiquei sobre esse assunto). Note que a primeira atualização pode exigir que o Windows Update seja executado diversas vezes, pois algumas atualizações só instalam depois de outras terem sido efetivadas, o que pode exigir também várias reinicializações do sistema.

(**) O Windows é capaz de reconhecer e instalar a maioria dos componentes existentes no mercado – e fica melhor nesse quesito a cada nova versão. No entanto, é sempre preferível utilizar os drivers desenvolvidos pelos fabricantes da placa-mãe e dos demais dispositivos (para saber mais, clique aqui e leia a sequência de postagens que eu publiquei sobre esse assunto). A propósito, fique atento durante a primeira atualização do sistema, pois talvez o Windows Update ofereça drivers para diversos componentes que você já atualizou a partir dos websites dos respectivos fabricantes.

Observação: Independentemente de sua máquina ser de grife ou resultar de uma integração caseira, rode o Update Checker  regularmente para manter os drivers e os softwares de terceiros (não-Microsoft) devidamente atualizados.  

Era isso, pessoal. Claro que esta resenha não preenche todas as lacunas - e nem poderia, já que o último tutorial ilustrado e que eu publiquei na mídia escrita, nos tempos da saudosa Coleção Guia Fácil Informática, rendeu dois volumes de 100 páginas cada um (compêndios como o excelente HARDWARE NA PRÁTICA, do mestre Laércio Vasconcelos ultrapassam facilmente a casa das 700 páginas). Enfim, espero ter ajudado. Boa sorte a todos e até mais ler.
Postar um comentário