quarta-feira, 28 de novembro de 2012

COMPRAS ONLINE E DICAS DE NATAL


A decoração natalina (que começou a pipocar já no final de outubro) é a maneira de os comerciantes "lembrarem" os consumidores das compras de final de ano, até porque que o brasileiro tem o hábito deixar tudo para a última hora.
Claro que o trânsito congestionado, a dificuldade para estacionar e outros desconfortos inerentes às grandes metrópoles – presentes durante o ano inteiro e agravados com a aproximação das festas – desanima qualquer um, mas empurrar com a barriga não ajuda - pelo contrário, resulta num estresse ainda maior.
O lado bom da história é que a Web pode ser uma aliada valiosa nesse contexto, conquanto seja imperativo atentar para algumas regrinhas de segurança que a gente vem repisando todo final de ano. Confira:

• Compras online podem economizar tempo e dinheiro, mas facilitam sobremaneira a ação dos golpistas. Se sua caixa postal está repleta de emails que prometem ofertas arrasadoras de Natal, fique esperto (para saber como se prevenir, clique aqui).  

• Antes de preencher formulários online, verifique se o URL que aparece na barra de endereços do seu navegador começa com HTTPS (em vez do tradicional HTTP) e se o ícone que representa um pequeno cadeado é exibido no canto inferior direito da tela (isso indica que você está em um site seguro e que as informações serão criptografadas).

• Evite repetir os mesmos dados de login/pergunta de segurança em todos os sites de comércio eletrônico e jamais use a mesma senha que lhe dá acesso ao Net Banking.

• Na impossibilidade de efetuar os pagamentos pelo SEDEX a cobrar ou boleto bancário (opções desconfortáveis, mas mais seguras), reserve um único cartão de crédito para sua compras, estabeleça um limite suficiente, mas o mais baixo possível (no caso de maracutaias, o prejuízo será menor) e fique de olho nos lançamentos em suas contas (caso algo não lhe pareça certo, reclame imediatamente).

• Sites de compras coletivas e clubes de descontos estão se tornando cada vez mais populares, até porque oferecem descontos que, em alguns casos, chegam a 90%. No entanto, o número de reclamações  reclamações vem crescendo na mesma proporção.

Observadas essas recomendações, faça uma lista das pessoas que você tenciona presentear e das opções mais indicadas para cada uma delas. Caso esteja pensando em presentear um familiar (ou a si mesmo) com artigos mais caros - como um celular ou smartphone de última geração, por exemplo -, não deixe de comparar as características dos aparelhos no serviço disponibilizado pelo UOL e de cotejar os preços em sites de buscas como o Bondfaro ou o Buscapé.

Observação: A aquisição dos aparelhos nas lojas das próprias operadoras pode resultar em descontos bastante representativos (dependendo do plano que você escolher, o telefone pode até mesmo sair de graça), mas essa modalidade de compra geralmente exige fidelidade durante 12 meses (ou multa proporcional, no caso de rescisão antecipada do contrato), o que, salvo melhor juízo, a torna inviável para presentear quem quer que seja. 

Boas compras e até mais ler.
Postar um comentário