domingo, 16 de outubro de 2016

CUNHA E LULA NA MESMA VARA. SERÁ QUE DIVIDIRÃO TAMBÉM A MESMA CELA?

Primeiramente, uma frase para você refletir:

“Sinto o Lula com muita vontade de abrir. Ele acha que o PT precisa recuar para se reconstruir” ― Carlos Lupi, presidente nacional do PDT, despejado do Ministério do Trabalho do governo Dilma por excesso de bandalheira, apostando no apoio de Lula a uma possível candidatura de Ciro Gomes em 2018, sem esclarecer se as conversações vão ocorrer numa cela em Curitiba ou numa praça da capital de alguma ditadura africana.

Sigamos adiante:

Eduardo Cunha agora é réu na 13ª Vara Federal de Curitiba ― a mesma em que Lula responde a processo por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O juiz Sergio Moro recebeu a ação penal que corria contra o ex-presidente da Câmara no Supremo e acatou a denúncia do MPF que o acusa de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

Lula já era réu na 10ª Vara Federal de Brasília, acusado de obstrução de investigação e da Justiça por tentar comprar o silêncio de Nestor Cerveró. Na última quinta-feira, o juiz Vallisney de Oliveira, titular da vara, o fez réu de novo, aceitando a denúncia oferecida pelo MP contra o petralha por organização criminosa, corrupção passiva, lavagem de dinheiro e tráfico de influência. Vale lembrar que, no Supremo, o Lula é investigado no inquérito-mãe que apura toda a urdidura criminosa conhecida como Petrolão.

Tanto Cunha quanto Lula têm agora dez dias para apresentar a defesa. Em nota divulgada na própria quinta-feira, os advogados do petista afirmaram que ele é vítima de lawfare ― manipulação das leis que se vale de acusações “absurdas e sem provas” para atingir alguém que foi eleito como inimigo político. Sem elementos sólidos para refutar as acusações ― afinal, defender o indefensável é complicado ―, os conspícuos causídicos não só vêm sistematicamente apresentando recursos protelatórios ao STF, como também chegaram a denunciar Moro à Comissão de Direitos Humanos da ONU ― que deu em nada, conforme eu previ que aconteceria numa postagem publicada três meses atrás, até porque não há razão para a ONU meter o bedelho em assuntos internos de um país soberano e democrata.

Às vésperas de completar 71 anos, amargando o ostracismo e humilhantes derrotas políticas, Lula vê crescer o número de ações contra ele na Justiça (detalhes nesta matéria). Na última semana, conforme dito linhas atrás, ele se tornou réu pela terceira vez, desta feita por decisão da 10ª Vara Federal do DF ― o que desmonta a teoria da conspiração segundo a qual o petralha é vítima de uma implacável perseguição por parte da “República de Curitiba”. E os procuradores ― também do DF ― se dedicam a outras investigações sobre possível tráfico de influência para obras de empreiteiras em países como Equador, Panamá e Venezuela.

Mais perdida que cego em tiroteio, a defesa de Lula insiste na tese de que ele nada tinha a ver com o BNDES, algo no mínimo risível. Só falta dizer que o petralha não sabe quem é Taiguara Rodrigues dos Santos e que jamais ouviu falar na Exergia

Tendo tempo e jeito, não deixe de assistir a este vídeo: https://youtu.be/BD88mnbbQFg

Confira minhas atualizações diárias sobre política em www.cenario-politico-tupiniquim.link.blog.br/


Postar um comentário