segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Upgrade de RAM

Do ponto de vista do custo/benefício, o upgrade de RAM talvez seja o que proporcione melhores resultados, mas vai longe o tempo em que uma placa-mãe podia funcionar com praticamente qualquer marca e modelo de memória. Hoje, com as velocidades cada vez mais elevadas, as incompatibilidade são freqüentes, especialmente se você optar por memórias “genéricas”, que em alguns casos só funcionam depois de intrincados ajustes de timing via Setup.Demais disso, com o advento de novas tecnologias, as placas podem reservar algumas surpresas – como os modelos “híbridos” lançados geralmente em épocas de transição (como da DDR para a DDR2 ou da DDR2 para a DDR3), que oferecem suporte a dois padrões diferentes, ainda que não simultaneamente.

Observação: Você pode identificar facilmente um módulo DDR pela sua trilha de contatos de 184 vias, mas tanto os DDR2 quanto os DDR3 utilizam 240 vias e mantêm o mesmo formato – nesses casos, a diferença está no chanfro (encaixe), que no padrão mais recente fica localizado mais próximo da extremidade esquerda do módulo.
Caso você pretenda incrementar o desempenho de seu PC mediante o acréscimo de memória RAM:

1- Veja primeiro qual o tipo adequado à sua placa e a quantidade máxima que ela suporta. Se não for possível localizar essas informações no manual do aparelho ou da placa-mãe, recorra ao Hwinfo ou à ferramenta disponibilizada no site da Kingston.
2- Consulte a lista de marcas e modelos homologados pelo fabricante em seu website, procure uma loja confiável e leve de amostra um módulo de memória do seu PC. Evite compras online (será mais difícil devolver um produto inadequado ou defeituoso) e, caso não se senta à vontade para abrir o gabinete, leve-o com você e peça ao revendedor que instale e teste o novo componente.
3- Utilizar módulos da mesma marca e capacidade não é uma exigência pétrea, mas certamente irá prevenir incompatibilidades (especialmente se houver suporte ao Dual Channel, quando dois slots específicos devem ser obrigatoriamente ocupados para que a função seja habilitada). Note também que se a sua placa oferecer dois slots e apenas um deles estiver ocupado, por exemplo, é provável que você possa dobrar a quantidade de RAM acrescentando um segundo pente, mas nem sempre poderá substituir o pente pré-existente por outro com o dobro da capacidade.
4- No que diz respeito à instalação, basta desligar o PC, desconectar os periféricos, abrir o gabinete, localizar os soquetes, introduzir os pentes até que as travas os prendam devidamente – tome cuidado para não danificá-los invertendo ou forçando exageradamente o encaixe –, remontar tudo e religar a máquina.
5- Quando realizar esses procedimentos, não use roupas de lã, tecidos sintéticos, tênis ou sapatos de solado de borracha (prefira ficar descalço sobre o piso nu), e se você não dispuser de uma pulseira eletrostática, descarregue-se segurando por alguns segundos uma peça metálica aterrada ou mesmo a carcaça da fonte de alimentação.


Observação: No caso da fonte, assegure-se de que o cabo de força esteja ligado ao no-break, estabilizador ou filtro de linha, que por sua vez deverá estar conectado à tomada (mas com o botão “liga/desliga” na posição “off”), ou não haverá conexão com o fio terra ou o pólo neutro da rede elétrica, que é indispensável para uma descarga eficiente.

Bom dia a todos e até amanhã, se Deus quiser.
Postar um comentário