quinta-feira, 13 de março de 2014

WINDOWS 7 - DICAS, TRUQUES E MACETES (FINAL) e humor de sexta-feira.

NEM O CÉU É MELHOR DO QUE A PRESIDÊNCIA. NO CÉU A GENTE TEM DE MORRER PARA IR; NA PRESIDÊNCIA, A GENTE PODE IR VIVO.
Para concluir esta sequência de postagens:
  • Precisa de mais espaço na Área de Trabalho? Dê um clique direito num ponto vazio da Barra de tarefas, clique em Propriedades e marque Ocultar automaticamente a barra de tarefas. Desse modo, ela só será exibida quando você posicionar o mouse na base da tela (ou no topo, ou numa das laterais, caso tenha mudado a dita-cuja de posição).
  • Já se a falta de espaço for na Barra de tarefas, repita os passos anteriores e marque Usar ícones pequenos. Se isso não bastar, desmarque a opção Bloquear a barra de tarefas, clique sobre a barra com o mouse e puxe-a para cima até que ela atinja a altura desejada. Ao final, torne a marcar a opção Bloquear a barra de tarefas.
  • Alguns aplicativos acrescentam entradas no menu Enviar para, que é uma das opções do menu de contexto exibido quando damos um clique direito sobre um arquivo, pasta ou atalho. Para fazer o mesmo manualmente, devemos digitar shell:sendto na caixa do menu Executar e criar os atalhos desejados (para mais detalhes, clique aqui).
  • A crescente lentidão é talvez o principal motivo de queixa dos usuários do Windows, mas, conforme já comentamos em outras oportunidades, isso não é um defeito, e sim uma característica do produto. Solução? Não há, a não ser reinstalar o sistema para que ele recupere seu viço inicial. Paliativos? Há muitos, a começar por manter o computador “nos trinques” mediante procedimentos de manutenção preventivo-corretivos – também abordados em diversas postagens (a título de sugestão, releia a sequência publicada entre os dias 24 e 26 do mês passado).
  • Para amargar menos demora durante a inicialização e o desligamento do computador, podemos utilizar as opções suspender e hibernar, exibidas quando clicamos na setinha à direita do botão Desligar, no menu Iniciar. A primeira coloca a máquina num estado de baixo consumo de energia, mas conserva os aplicativos em execução e os arquivos abertos armazenados na memória RAM, de modo que o retorno à atividade ocorre em poucos segundos. No segundo, o conteúdo da RAM é transportado para uma área pré-definida do disco rígido (HIBERFIL.SYS) e o computador é totalmente desligado (não há consumo de energia), mas ainda assim o retorno à atividade ocorre mais rapidamente do que numa inicialização convencional e ainda traz de volta os aplicativos e arquivos do jeito que estavam quando o sistema entrou em hibernação.
Observação: A despeito da eficácia das opções sugeridas no tópico anterior, de tempos em tempos é preciso desligar totalmente o computador. Isso porque, quando são fechados, alguns aplicativos não liberam totalmente a memória que haviam alocado, e isso acaba degradando o desempenho do sistema. Mas, atenção: não basta reiniciar o PC. É preciso desligá-lo completamente, aguardar alguns minutos e depois tornar a ligar.   
  • Ainda assim, vale fazer alguns reajustes no Registro do sistema (mas não sem antes de criar um backup da chave envolvida e um ponto de restauração, naturalmente) para reduzir o tempo que o Windows aguarda antes de forçar o desligamento de processos e serviços rebeldes. Para mais detalhes, clique aqui
Tenham todos um ótimo dia.
Postar um comentário