terça-feira, 28 de julho de 2009

Desinstalar é preciso...

Tão chato quanto deletar definitivamente um arquivo ou remover um software qualquer e em seguida perceber que fez bobagem é você querer excluir um troço e, por qualquer razão insondável, não conseguir defenestrá-lo.
No que concerne a arquivos rebeldes, a Martha enviou uma dica que eu publiquei no post do dia 22 de outubro passado, mas que vale a pena relembrar em rápidas pinceladas: como o Windows não costuma permitir a remoção de arquivos que estejam sendo usados por programas, processos ou serviços em execução (aspecto que pode dificultar a remoção de vírus, spywares e outros malwares) o freeware Unlocker (http://ccollomb.free.fr/unlocker/#download) é mão na roda. Basta instalar o programinha e utilizá-lo sempre que você tiver problemas para mover, renomear ou excluir um arquivo qualquer.
Já para desinstalar aplicativos, é sempre conveniente fazê-lo através do desinstalador do próprio programa (clique em Iniciar > Todos os programas e procure algo como “remover” ou “uninstall” entre as entradas do programa em questão). Na impossibilidade, abra o Painel de Controle, clique em Adicionar ou remover programas e veja se a desinstalação pode ser feita por ali – vale também verificar se alguma de suas ferramentas de manutenção pode ajudá-lo nessa tarefa; tanto o Advanced SystemCare quanto o CCleaner e o EasyCleaner (já analisados e recomendados em outras oportunidades) integram essa função.
Caso isso não resolva seu problema, use o Google (ou outro mecanismo de busca de sua preferência) para tentar localizar algum desinstalador disponível para a aplicação que deseja remover. Pesquise pelo nome do programa, número da versão e acrescente a palavra “desinstalar” (ou uninstall). Se não localizar nada, experimente a palavra “remover” (ou remove). Fóruns também costumam oferecer ajudar para problemas dessa natureza.
Outra opção é recorrer ao freeware Ashampoo Magical Uninstall (disponível em http://www2.ashampoo.com/webcache/html/1/product_2_0803___USD.htm), que cria uma imagem do sistema antes da remoção do software, executa uma série de procedimentos para apagar aquilo que você não quer mais (limpando inclusive o registro do Windows) e então cria uma nova imagem do ambiente, facilitando a reversão do sistema para o estado anterior no caso de algo dar errado.

Observação: Há casos em que aquilo que você deseja remover é apenas um atalho. Para descobrir, clique nele com o botão direito do mouse, selecione Propriedades e, no campo Destino, confira o nome do programa ao qual o atalho está vinculado e se ele existe de fato no seu HD. Caso não o encontre, selecione o atalho inútil e pressione Del para apagá-lo.

Se tudo isso falhar, existe a possibilidade de “pegar o touro à unha” seguindo um tutorial bem bacana que eu recebi de um leitor. Mas antes de qualquer outra providência, faça backup do Registro e/ou crie um ponto de restauração do sistema (procedimentos já detalhados em outras postagens que você pode localizar através do campo PESQUISAR BLOG).
Feito isso, localize o caminho e o nome de arquivo – dê um clique direito no atalho do programa, no menu Iniciar, e selecione Propriedades. No campo Destino, tudo que estiver à esquerda da última barra é o endereço do programa no HD; à direita, fica o nome do arquivo (mantenha a tela das Propriedades aberta, você vai usar o caminho e o nome do arquivo no processo de desinstalação).
Em seguida, clique em Iniciar > Executar, digite “msconfig” (sem as aspas), tecle Enter, clique na aba Inicialização e procure qualquer coisa relacionada ao programa, incluindo algo que tenha o caminho ou nome do arquivo (antes de desmarcar a opção encontrada, certifique-se de que ela contém o caminho inteiro, ou você poderá remover acidentalmente tudo que estiver em C:\Arquivos de Programas). Vale lembrar que, caso você remova algum item da lista, terá de reiniciar o computador para efetivar as alterações.
Reinicializado o sistema, clique em Iniciar > Localizar, digite o nome do empecilho e exclua qualquer remissão a ele, tais como pastas vazias, entradas inúteis e coisas afins. Na sequência, convém limpar o Registro do Windows (utilize o excelente MV RegClean 5.9, disponível em http://superdownloads.uol.com.br/download/147/mv-regclean/) e apagar a entrada referente ao aplicativo, se ela permanecer na lista exibida em Iniciar > Todos os programas.
Por garantia, rode também o Advanced SystemCare, o CCleaner ou o EasyCleaner (ou os três, caso todos eles estejam disponíveis).

EM TEMPO: A Microsoft deve liberar ainda hoje dois pacotes de segurança emergenciais, visando corrigir falhas no Internet Explorer (crítica) e no Visual Studio (moderada).
Barbas de molho, minha gente!

Abraços a todos e até amanhã.
Postar um comentário