quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Diga não à pedofilia

Costumo dizer que navegar na Web está mais para um safári do que para um passeio no parque - e quem tem filhos pequenos deve redobrar os cuidados: é certo que a pedofilia, a pornografia infanto-juvenil e outras formas de abuso e exploração sexual não são exclusividade do mundo informatizado – haja vista a velha fábula de Chapeuzinho Vermelho e o Lobo Mau -, mas é igualmente certo que emails, salas de chat, redes sociais e programas de mensagens instantâneas auxiliam os pervertidos em seus propósitos escusos. Para piorar, nem sempre é fácil reconhecer um pedófilo, especialmente devido ao “anonimato” proporcionado pela Web, que torna fácil alguém se passar por jovem ou criança da mesma idade da vítima.
Além de acompanhar de perto as atividades dos filhos e alertá-los quanto a possíveis situações de risco, você pode se valer de um programa de monitoramento para saber, dentre outras coisas, que tipo de conteúdo as crianças acessam (e assim restringir os sites que achar inapropriados), quais programas executam, que perfis do Orkut visitam e o que conversam no Messenger. (Pode parecer um tanto radical, mas, em certos casos, os fins justificam os meios, e sempre melhor prevenir do que remediar).
Para saber mais sobre o assunto, acesse o site Childhood; para baixar a cartilha NAVEGAR COM SEGURANÇA – Proteja seus filhos da pedofilia e da pornografia infanto-juvenil na Internet, clique aqui .
O conhecimento, aliado à prevenção, ainda é o nosso melhor instrumento de defesa.
Um bom dia a todos e até amanhã.
Postar um comentário