segunda-feira, 25 de abril de 2011

Arquivos duplicados

Várias postagens aqui no Blog trazem dicas e sugestões para manter “nos trinques” o desempenho do sistema, dentre as quais se destacam os inevitáveis procedimentos de manutenção preventivo/corretiva que devem ser realizados de tempos em tempos.
Programas desnecessários, arquivos inúteis, pastas vazias, atalhos quebrados, chaves inválidas e entradas obsoletas no Registro, dados excessivamente fragmentados no HD e outros “probleminhas” afins degradam a performance do computador, e ainda que solucioná-los dê algum trabalho, a dor de cabeça será maior se você postergar indefinidamente a adoção das providências necessárias. A título de ilustração, a desfragmentação dos dados no HD leva poucos minutos para ser concluída quando realizada semanalmente (claro que isso varia conforme o tamanho do disco, os recursos do computador e a taxa de fragmentação dos arquivos), mas pode demorar horas se você deixar para executá-la a cada seis meses, por exemplo.
Falando em HD, é certo que os drives modernos oferecem espaço de sobra, mas é igualmente certo que o agigantamento dos arquivos – especialmente de multimídia –, combinado com a “vocação” que alguns usuários têm para não jogar nada fora, pode consumir rapidamente centenas de gigabytes. Por conta disso, convém eliminar de tempos em tempos todos os arquivos dispensáveis e executar o utilitário de Limpeza do disco – abra a pasta Meu Computador, dê um clique direito sobre o ícone que representa seu HD, clique em Propriedades e, na aba Geral, clique em Limpeza de disco; na próxima tela, selecione a aba Mais opções se você quiser apagar também os pontos de restauração do sistema (com exceção do mais recente, que é mantido por padrão). Note, porém, que essa “faxina” não exclui arquivos duplicados (ou triplicados, quadruplicados, e daí por diante), que também consomem um bocado de espaço no disco.
Essas redundâncias podem ser criadas pelo usuário, pelo sistema, ou por determinados aplicativos (notadamente ferramentas de backup), e eliminá-las manualmente é um trabalho insano, até porque arquivos idênticos podem ter sido salvos como nomes e/ou extensões diferentes – como quando convertemos uma imagem *.BMP em *.JPG e não apagamos o arquivo original, por exemplo. Então, o jeito é recorrer a ferramentas dedicadas, que esquadrinham os drives e criam uma lista com as possíveis repetições. No entanto, nem sempre é fácil identificar o que pode ser apagado, e considerando que a exclusão fica a cargo do usuário, é preciso tomar cuidado para não excluir backups ou arquivos importantes que, em certos casos, precisam ser mantidos em dois ou mais diretórios distintos.
O DoublesFinder é um programinha gratuito que lista arquivos duplicados levando em conta seu conteúdo – e não somente o nome dos arquivos. Ele não apaga as cópias; apenas as envia para a lixeira, facilitando o resgate de qualquer coisa que eventualmente venha a fazer falta (mais informações e download em http://alainlecomte.free.fr/Download.htm).
Outra opção igualmente gratuita e bastante eficiente integra a suíte de manutenção GLARY UTILITIES (disponível em http://www.glarysoft.com/), que oferece uma coleção de ferramentas pra lá de interessantes. Com a interface em português, o programa é fácil de usar (quem quiser um tutorial detalhado pode obtê-lo no  Baixaki). Vale lembrar apenas que, por ocasião da instalação, será perguntado se você deseja adicionar a barra de ferramentas Ask.com ao seu navegador e configurar seu motor de busca como padrão. Para recusar, desmarque as caixas de seleção respectivas antes de clicar em Avançar.
Bom dia a todos e até mais ler.
Postar um comentário