sexta-feira, 1 de abril de 2011

BlackBox, Firefox e humor de sexta-feira

Chamamos “caixa preta” àquele artefato que ajuda a elucidar acidentes aéreos mediante o fornecimento de informações sobre a situação do vôo, os últimos 30 minutos de conversa entre a aeronave e a torre de controle, além da velocidade, altitude, direção e ângulos de subida e descida do aparelho no momento do acidente. Aliás, ao contrário do que se costuma imaginar, ela não é preta, mas geralmente cor de laranja, e não fica na cabine (principal ponto de impacto numa queda), e sim na cauda da aeronave.
Mudando de pato para ganso, interessa dizer que o nome BlackBox também remete a uma ferramenta de diagnóstico e benchmark gratuita que esquadrinha, analisa e quantifica os recursos de hardware do computador (mais informações e download em http://hwmblackbox.com/). Dentre diversos outros recursos, ela atribui notas a vários componentes do PC, avalia a performance global do sistema, identifica o codinome e o modelo do processador, o modo de operação das memórias e sua latência e clock.
Para quem deseja uma opção mais completa que o  CPU-Z e mais barata que o Everest (versão gratuita para teste e tutorial detalhado disponíveis em http://www.baixaki.com.br/download/everest-ultimate-edition.htm), o BlackBox é uma mão na roda.

Os comentários deixados nas postagens que publiquei recentemente sobre navegadores deixaram clara a preferência dos leitores pelo Firefox. Sobre o Chrome, quase ninguém falou, e o IE (que é o meu favorito, mas isso já é outra história) não recebeu grandes elogios (para dizer o mínimo). No entanto, segundo um artigo publicado na PCWorld EUA, algumas modificações implementadas na nova versão da Raposa não foram de agrado geral – tais como a nova posição do botão Atualizar e das Abas –, sem mencionar que alguns add-ons deixaram de funcionar.
Para saber sabe mais sobre o assunto (e ver como resolver esses probleminhas), clique aqui.

Passemos agora à nossa tradicional piadinha de sexta-feira:

Num ponto incerto e não sabido das montanhas do Tibet, vivia um sábio que, perguntado sobre qual o caminho mais curto e seguro para atingir o coração de uma mulher, respondeu:
- Não há caminho seguro, só trilhas beirando penhascos e caminhos sem mapas cheios de pedras e de serpentes venenosas. É preciso ser amigo, companheiro, amante, irmão, educador, cozinheiro, mecânico, encanador, eletricista, decorador, estilista, sexólogo, psicólogo, ginecologista e terapeuta. Ajuda também ser simpático, carinhoso, atento, cavalheiro, inteligente, imaginativo, criativo, doce, gentil, forte, compreensivo, tolerante, prudente, ambicioso, valente, decidido, confiável, apaixonado e, de preferência, rico. Adicionalmente, convém não cuspir no chão, coçar o saco em público, arrotar alto, falar palavrão ou peidar na presença da amada. Vale ainda levantar a tampa do vaso antes de mijar, dar descarga, ser rápido no banho, fazer a barba, não ter amigos (nem muito menos sair para beber com eles), não roncar (e nem mencionar que ela ronca), telefonar 5 vezes por dia só para dizer “eu te amo”, sempre lembrar datas de aniversário (natalício, de noivado, casamento, formatura, menstruação, primeiro beijo e outras do tipo), sem mencionar que...
Ei, rapaz, espere... Volte aqui... Não pule!!!

Bom f.d.s. a todos.
Postar um comentário